Províncias

Falta de uma instituição bancária dificulta o pagamento de salários

Elautério Silipuleni

A rede sanitária no município do Curoca carece ainda de médicos, pessoal especializado e de mais unidades hospitalares.

Diversas obras sociais estão a ser erguidas de modo a melhorar a imagem do município
Fotografia: Elautério Silipuleni

A rede sanitária no município do Curoca carece ainda de médicos, pessoal especializado e de mais unidades hospitalares. Actualmente existe apenas um hospital municipal e um posto de saúde, insuficientes para garantirem a assistência a 45.489 habitantes espalhados nas duas comunas do município.
O administrador Tomé Goloimwedisse que existe um plano do Governo Provincial do Cunene para construção de mais unidades de saúde e aquisição de pessoal especializado, além de meios técnicos para a melhoria da assistência médica e medicamentosa das populações do município do Curoca.
No município do Curoca, as unidades sanitárias funcionam apenas com enfermeiros. Em função desta realidade, o administrador espera da direcção provincial da Saúde um maior engajamento para que a circunscrição possa ter médicos e outros técnicos especializados.


Banco e rede telefónica

A falta de agências bancárias no município do Curoca está a dificultar o pagamento dos salários aos funcionários públicos. A preocupação foi manifestada ao Jornal de Angola por alguns funcionários públicos e do sector privado deste município do Cunene.
Adelaide Kafivanu, professora, defende a instalação urgente de agências bancárias no município para evitar que as populações se desloquem para outras áreas.
A professora pede ao governo da província a instalação de agências bancárias no município, no sentido de se evitar deslocações para, por exemplo, se levantar os ordenados.
A população do município do Curoca apelou aos órgãos competentes para a extensão da rede de telefonia móvel da Unitel e Movicel à circunscrição, com vista a facilitar as comunicações.
Os munícipes enfrentam sérias dificuldades de comunicação com pessoas fora da localidade. Francisco Domingos, natural da Huíla, está colocado como professor no município do Curoca. Segundo disse à nossa reportagem, a falta de uma rede de telefonia na referida localidade torna o município mais distante das outras localidades e, consequentemente, da sua família.

Tempo

Multimédia