Províncias

Faltam professores e salas de aula

Francisco Curihingana | Malange

No município de Cangandala, um elevado número de crianças está fora do sistema de ensino por falta de professores e salas de aula.

Chefe de secção municipal da Educação
Fotografia: Genivaldo Silva

No município de Cangandala, um elevado número de crianças está fora do sistema de ensino por falta de professores e salas de aula. De acordo com o chefe de Secção Municipal de Educação, Pedro Piedade Delgado, que não precisou o número dos alunos fora do sistema, tal problema vai conhecer solução com a admissão de novos professores, que foram já submetidos à exames de aptidão, na semana passada.
De acordo com o responsável, 500 professores são necessários para fazer a cobertura da região, que no presente ano lectivo tem matriculados 5.600 alunos, da iniciação à 9ª classe.
No sector da Saúde, o chefe de repartição municipal, Cândido Armindo Fuxi, disse que os maiores problemas, na sua área de jurisdição, são o paludismo, doenças diarreicas agudas e respiratórias. />O município conta com três médicos cubanos, um pediatra, um ginecologista e um que atende medicina geral.
As comunas de Caribo e do Bembo, bem como o sector do Tamba, contam com um enfermeiro cada, que realizam consultas externas às populações locais.
Armindo Fuxe disse que nas referidas localidades não há reclamações em medicamentos, na medida em que as entidades provinciais garantem o seu abastecimento regular.
O problema que enfrentam actualmente tem a ver com a inacessibilidade de algumas vias de circulação, onde as populações recorrem às bicicletas e motorizadas para socorrer os doentes no hospital municipal de Cangandala.
O município de Cangandala conta neste momento com residências para os médicos e enfermeiros que prestam serviços naquela municipalidade, berço da imponente Palanca Negra Gigante, segundo Armindo Fuxe.

Tempo

Multimédia