Províncias

Famílias desalojadas já têm casas

Manuel Fontoura | Ndalatando

As famílias dos bairros Azul e Boa Vista, em Ndalatando, 90 ao todo, retiradas, há aproximadamente três anos, das zonas por onde passam os cabos de alta tensão, começaram, na quarta-feira, a receber casas novas construídas pelo governo provincial.

Momento em que o governador do Kwanza-Norte fazia a entrega simbólica de uma casa a Donana Manuel francisco Cordeiro
Fotografia: Nilo Mateus|Ndalatando


 
As famílias dos bairros Azul e Boa Vista, em Ndalatando, 90 ao todo, retiradas, há aproximadamente três anos, das zonas por onde passam os cabos de alta tensão, começaram, na quarta-feira, a receber casas novas construídas pelo governo provincial.
O governador do Kwanza-Norte procedeu à entrega simbólica de uma casa a Donana Manuel Francisco Cordeiro.
“Estou muito agradecida por tudo quanto foi feito. Passámos muito tempo a viver em casa de aluguer e agora que estas estão prontas a nossa vida será melhor”, disse ela.
Para a entrega das casas basta aos beneficiários dirigirem-se à administração municipal de Cazengo para tratarem da documentação necessária e receberem as chaves.
O governador Henrique Júnior felicitou os beneficiários e agradeceu-lhes a paciência que tiveram em esperar pela conclusão das obras.
“Esse período criou cepticismo em muita gente, que já não acreditava na entrega das casas, mas, como temos dito, o governo às vezes demora, mas nunca deixa de cumprir as promessas”, afirmou.
O director local das Obras Públicas, Pinda Dongala, lembrou que o projecto da construção de casas começou numa altura em que o governo da província pretendia melhorar o abastecimento de energia eléctrica na cidade de Ndalatando, a partir da barragem de Capanda, em Malange.
Para desenvolver um trabalho, com base nas normas técnicas previstas para a montagem da linha de alta tensão de energia eléctrica, referiu, tiveram de ser desalojadas famílias.
“Com base no registo feito pela administração municipal de Cazengo e pela direcção das Obras Públicas, decidimos instalar as 90 famílias que viviam no espaço em casas alugadas, enquanto se construíam as definitivas”, declarou.
A maioria das novas casas, com dois quartos, sala, cozinha e quarto de banho, ainda não foram pintadas, nem têm vedação.
Para abastecer as populações de água potável foram feitos dois furos. A rede de energia eléctrica pode ser inaugurada nos próximos dias.

Tempo

Multimédia