Províncias

Famílias do sector do Ngove já consomem água potável

António Canepa | Caála

Mais de 10 mil famílias do sector do Ngove, comuna do Cuima, passam a consumir, pela primeira vez, água potável, após a inauguração ontem do primeiro sistema de captação e distribuição do produto.

Fotografia: JAIMAGENS

Construído em 11 meses, pela Fundação Eduardo dos Santos (FesA), o sistema de tratamento e distribuição de água vai contemplar, além da população peri-urbana, a sede da povoação, as duas ombalas e aldeias com maior aglomeração populacional.
O sistema de capatação de água do sector do Ngove, inaugurado pelo governador provincial do Huambo, João Baptista Kussumua, tem capacidade para armazenar 100 metros cúbicos de água potável e foi construído em parceira com a Fundação Elecnor de Espanha, num investimento de 142.685.386 kwanzas.
O projecto contemplou igualmente a construção de quatro chafarizes, um fontenário, parque infantil e uma biblioteca totalmente equipada, quer com livros, quer com meios informáticos.
O membro da Fundação Educardo dos Santos (Fesa), Pedro Chissanga, disse durante a entrega da obra que o projecto de construção do sistema de tratamento e distribuição de água é uma acção promovida pela instituição, em resposta aos esforços do Governo de melhorar as condições sociais da população.
Pedro Chissanga realçou que o novo sistema de distribuição de água vai ajudar a população a evitar uma série de doenças, por consumo de água imprópria extraída directamente dos rios, e encurtar a distância na procura deste bem.
O quadro da Fundação  Eduardo Santos assegurou que a instituição vai continuar a levar a cabo acções do género naquilo que são as suas actividades de carácter social, principalmente na construção e reabilitação de escolas, postos e centros de saúde, capacitação de professores e de técnicos de saúde, entre outras.

Primeiro sistema

O governador provincial do Huambo, João Baptista Kussumua, louvou a iniciativa da Fesa e sublinhou que o fornecimento à população rural é bem-vindo, uma vez que vai incentivar o consumo de água potável, melhorar e preservar a saúde.
João Baptista Kussumua apontou que, com a entrega do primeiro sistema de tratamento e distribuição de água, a população do sector do Ngove fica mais segura e deixa de utilizar água imprópria, principalmente para uso doméstico.
O sector do Ngove congrega 60 aldeias e duas ombalas, tem uma extensão de 800 quilómetros quadrados e uma população estimada em 25 mil habitantes, que se dedica maioritariamente à agricultura e à pesca artesanal.

Tempo

Multimédia