Províncias

Feira em Ndalatando mostra potencialidades da província

Manuel Fontoura | Ndalatando

A cidade de Ndalatando acolhe de 23 a 28 de Maio a 2.ª Feira Internacional do Cuanza-Norte, com a participação de empresários nacionais e estrangeiros, com o objectivo de mostrar as potencialidades da província e captar investimentos de modo a alavancar a economia local.

Em prol à efeméride estão agendadas diversas actividades sociais, culturais e desportivas
Fotografia: Manuel Fontoura | Edições Novembro | Cuanza-Norte

De acordo com a vice-go-vernadora do Cuanza-Norte para o sector Político, Social e Económico, Leonor Garibalde, que falava no acto de abertura das Festas da Cidade de Ndalatando, as feiras promovem produtos e serviços, com a presença de produtores, fornecedores e compradores, sendo sinónimo de oportunidades de negócio.
Leonor Garibalde afirmou que a Feira Internacional do Cuanza-Norte já se tornou uma marca da província, ten-do em conta o êxito da edição passada, em que participaram mais de 150 exposito-res de diferentes áreas do comércio, prestação de servi-ços, agricultura, pecuária, ho-telaria, turismo, restauração e outros.
O porta-voz do Governo Provincial do Cuanza-Norte, Miguel Gaspar, disse que o desenvolvimento da província assenta na agricultura, pecuária, agro-indústria, exploração mineira e turismo.
Manuel Gaspar referiu que o Governo e a entidade organizadora esperam que a segunda edição da feira supere a anterior e que estimule mais e melhores negócios. Para além do certame, as Festas da Cidade proporcionam actividades recreati-vas e desportivas, uma excursão turística, apresentação do prémio provincial de jornalismo, seminários, debates ra-diofónicos e outras.
A realização da 2.ª Feira Internacional do Cuanza-Norte está inserida no programa da celebração do 62.º aniversário da cidade de Ndalatando, que acontece a 28 de Maio, data em que, ao abrigo do diploma legislativo n.º 2.757 de 1956, a antiga Vila Salazar ascendeu à categoria de cidade.

 

Factos históricos

Em vésperas de completar 62 anos de existência, Ndalatando conta com mais de 160 mil habitantes. Muitos deles são provenientes de outras localidades, devido ao conflito armado que o país viveu depois da proclamação da Independência Nacional. O município de Cazengo tem como sede Ndalatando, elevada à condição de cidade a 28 de Maio de 1956.
Dados da Administração Municipal apontam o ano de 1845 como data provável da sua criação, mas foi fundada apenas 111 anos depois. Os dados demonstram ainda que Ndalatando, então Vila Salazar, ascendeu à categoria de cidade em diploma publica-do no Boletim Oficial de An-gola, n.º 2.757, primeira série de 28 de Maio de 1956, do governo português.
Após o alcance da Independência Nacional em 1975, o Governo angolano extinguiu a denominação Salazar, instituindo o nome de Ndalatando a 18 de Julho de 1976. A data passou a ser comemorada até 2005, no âmbito das Festas da Cidade. O município de Ca-zengo tem uma extensão de 1.793 quilómetros quadrados e compreende a comuna da Canhoca, dois sectores e 117 bairros, sendo 46 da periferia e 71 suburbanos.
Com o advento da paz, vá-rias actividades de desenvolvimento económico e social estão em curso, impulsiona-das pelo Governo, agentes económicos e parceiros sociais engajados na melhoria da prestação de bens e serviços sociais à população.

 

Associação de beneficência 

A cidade de Ndalatando, capital do Cuanza-Norte, conta com uma nova associação de apoio a crianças e adolescentes desfavorecidos.
Denominada Mãos Unidas, a referida associação de beneficência visa incentivar as crianças e adolescentes a praticarem actividades desportivas, retirar as crianças da rua, bem como incutir o espírito do bem ao próximo e preservar os valores morais para a construção de uma sociedade civilizada.
A constituição da associação ficou marcada pelo lançamento dos livros infantis Dois Reis no Céu, Presente Para o Pai, A Borboleta Cor de Ouro, A Árvore Gingon-gos e a Onça e o Cabrito, cujos preços variam de 100 a 1000 kwanzas.
O acto de formalização contou com a presença do governador provincial do Cuanza-Norte, José Maria dos Santos, da vice-governadora para o sector Político, Social e Económico, Leonor Garibalde, e outros membros do Governo.
Na ocasião, José Maria dos Santos incentivou as crian-ças e adolescentes presen-tes a serem obedientes aos pais e às pessoas mais velhas e a conservarem os valores do respeito, honestidade e irmandade.
O governador exortou os menores a aplicarem-se nos estudos e higiene, bem como a desfrutarem da infância e juventude, evitando todos os males e desvios de comportamento.

Tempo

Multimédia