Províncias

Feira promove agricultura e pecuária na província do "bago vermelho"

Domingos dos Santos |

Os expositores da I Feira Agropecuária do Uíge, que arranca sexta-feira, no município de Quitexe, esperam que o evento venha a contribuir para o crescimento da agricultura e da pecuária, em direcção ao desenvolvimento sócio-económico da província.

Os expositores da I Feira Agropecuária do Uíge, que arranca sexta-feira, no município de Quitexe, esperam que o evento venha a contribuir para o crescimento da agricultura e da pecuária, em direcção ao desenvolvimento sócio-económico da província.
A feira, alusiva aos 93 anos da cidade do Uige, conta com expositores de sectores diversos, como a agricultura, pecuária, artesanato, comércio e serviços, dos 16 municípios da província.
Zola Lucau, responsável pela montagem do stand da fazenda Kibopecuária, do município de Maquela do Zombo, considera que a ideia do Governo provincial, em promover a feira agropecuária anualmente, vai contribuir para o desenvolvimento económico e a promoção turística da província, que prevê receber, nesta primeira edição, mais de 10 mil visitantes. “Esperamos, com esta feira, mostrar as potencialidades da província e aquilo que de melhor aqui se produz”, disse Zola Lucau. A fazenda por que responde vai expor, durante os nove dias da feira, bovinos e caprinos, galinhas, banana, pão, mandioca, café, abacaxi, laranja, manga, madeira e materiais de construção.
A fazenda Kibopecuária, que participa pela primeira vez numa feira agropecuária, segundo Zola Lucau, tem mais de 600 cabeças de gado bovino e caprino. Uma cabeça de gado bovino no stand desta fazenda custa mil e 500 dólares, enquanto o preço do caprino varia entre os oito e 12 mil kwanzas.
“O nosso gado é proveniente do Brasil e da República Democrática do Congo e é de boa qualidade”, garantiu.
Por seu lado, João Bunga, expositor de Quitexe, defende que a feira, à semelhança das realizadas em outras províncias do país, além de promover os sectores da agricultura e pecuária, deve fomentar a troca de experiências entre os agricultores e os criadores de gado.
O evento abriu, igualmente, espaço para produtos como leite e mandioca, confecção de artesanatos, gastronomia, comercialização de factores de produção a nível da agricultura e venda de plantas ornamentais.
“Estamos nesta feira para divulgar a qualidade dos produtos da província do Uíge, em geral, e do município de Quitexe, em particular”, disse João Bunga. Para o empresário, o evento serve também para mostrar aos visitantes que Quitexe é um pólo de produção, principalmente de hortaliças, frutas, mandioca, banana, gingumba e outros produtos.
Para Mário Pedro, expositor do município do Songo, a feira é uma oportunidade para este sector trocar experiências na área de produção e comercialização dos seus bens. “Temos animais e produtos do campo de excelente qualidade”, disse.

Tempo

Multimédia