Províncias

Formação profissional apresenta debilidades

André Brandão | Ndalatando

Os institutos médios e os centros de formação profissional, na província do Cuan-za-Norte, estão assolados por uma série de dificuldades, com a falta de material nos laboratórios a ser o principal obstáculo para o funcionamento normal destes estabelecimentos, disse ontem  em Ndalatando o secretário de Estado para o Ensino Técnico Profissional.

Jesus Baptista, que prestou estas declarações depois de visitar o Instituto Médio Agrário de Camuaxi e a Es-cola de Formação de Técnicos de Saúde Arminda Faria, disse ter feito um le-vantamento sobre o ensino na província  e constatou  que os laboratórios e oficinas dos  estabelecimentos estão desprovidos dos principais materiais para que os alunos possam ter aulas práticas. “Temos de criar condições para que estas escolas sejam auto-sustentáveis. Quando isso se verificar, certamente não teremos  problemas do género”, admitiu.
Jesus Baptista disse que orientou a Direcção Provincial da Educação para fazer a redistribuição dos professores nas aludidas escolas em função da carga horária.
“Soube que há escolas que têm excesso de professores, por isso orientei para fazerem melhor aproveitamento destes quadros, pois não é justo que alguns te-nham mais carga horária do que outros.”
O secretário de Estado visitou, além do Instituto Médio Agrário e a Escola de Formação de Técnicos de Saúde, o Magistério, o Instituto  Médio Politécnico de Cambambe, as escolas de Kikulungo e Lucala, o centro escolar  missionário de São Pedro Nolasco de Kikulungo e de Samba Caju.

Tempo

Multimédia