Províncias

Formação profissional é aposta na província

A Escola Polivalente Profissional (EPP), adstrita à ONG Ajuda de Desenvolvimento de Povo para Povo (ADPP), tem 130 alunos a frequentar cursos de assistente de energia e de cozinha, dos quais 70 na oitava classe e 60 na nona.

A Escola Polivalente Profissional (EPP), adstrita à ONG Ajuda de Desenvolvimento de Povo para Povo (ADPP), tem 130 alunos a frequentar cursos de assistente de energia e de cozinha, dos quais 70 na oitava classe e 60 na nona.
O gestor do projecto denominado “EPP”, Nelson da Graça de Gouveia, disse ontem à Angop que o programa visa garantir às crianças e jovens uma formação básica de teoria e prática.A fonte diz que a ideia é fornecer ferramentas aos formandos que garantam um fácil enquadramento na comunidade. />Nelson Gouveia reconheceu ter havido muitas dificuldades por parte dos jovens dos 18 aos 20 anos, com formação básica, conseguirem o primeiro emprego, razão pela qual se optou por este projecto.
As experiências dos alunos são adquiridas no dia-a-dia na própria escola, devendo compartilhar todas as ideias com o professor, de maneira a saberem aliar a teoria à prática. Além dos cursos de assistente de energia e de cozinha, o estabelecimento de ensino vai introduzir o curso de auxiliar agro-alimentar.

Tempo

Multimédia