Províncias

Fundo de Apoio Social financia vários projectos

Luisa Victorino| Malaje

Mais de cinco milhões de dólares foram disponibilizados pelo Fundo de Apoio Social (FAS) para o financiamento de 78 projectos sociais,  desde 2006,  nos municípios de Malanje, Cacuso, Calandula, Cangadala, Quela, Kiwaba-Zoji e Mucari.

Director provincial do Fundo de Apoio Social garante que obras inacabadas serão retomadas
Fotografia: Eduardo Cunha | Edições Novembro

Em entrevista ao Jornal de Angola, o director provincial do FAS, Joaquim Fernandes, disse que os projectos versaram-se concretamente na construção de infra-estruturas  sociais, nomeadamente escolas, centros de saúde comunitários, mercados, lavandarias,  pontes e residências para professores e técnicos de enfermagem.
De acordo, ainda, com Joaquim Fernandes, o FAS, à luz das suas obrigações, apoia também projectos virados à capacitação dos quadros das administrações municipais e comunais de Malanje, Mucari, Cacuso e Calandula, sobre a elaboração dos perfis dinâmicos e formação de 93 Agentes de Desenvolvimento Comunitário (ADECOS).
Joaquim Fernandes explicou que os Agentes de Desenvolvimento Comunitário têm vindo a desenvolver acções de tratamento de casos simples de malária.
Assegurou que, com a aprovação do novo pacote de financiamento do projecto de desenvolvimento local, várias acções de âmbito social vão ser desenvolvidas, visando contribuir no combate à pobreza, começando já a pensar no alargamento do seu campo de actuação para outras regiões de Malanje, nomeadamente Luquembo, Cambundi-Catembo e Massango. Garantiu que nas referidas localidades o processo já teve início, com a capacitação dos quadros das administrações, assim como a recolha de dados para a elaboração dos perfis municipais.

Aldeias auto-sustentáveis
O director provincial do Fundo de Apoio Social (FAS) anunciou, para o presente ano, a implementação das aldeias auto-sustentáveis, no âmbito do programa de apoio de desenvolvimento social de diferentes localidades devidamente seleccionadas, que consiste na criação de vários serviços públicos e privados, visando contribuir no seu crescimento. Explicou que o projecto consiste na modernização dos municípios, com a introdução de novas técnicas de produção agrícola e a melhoria de vida dos munícipes.
Para o seu êxito, o responsável pediu a colaboração dos munícipes nas acções a serem desenvolvidas internamente. Joaquim Fernandes disse que no âmbito dos projectos das infra-estruturas sociais não foram executadas grandes acções no ano transacto, tendo referido que os recursos financeiros recebidos foram apenas canalizados para a conclusão dos projectos que tinham sido iniciados nos anos anteriores.
Em 2017, disse, “o FAS  financiou apenas dois projectos de construção de instituições escolares e duas residências para os quadros da Educação, no município do Quela”. A conclusão das obras das duas infra-estruturas escolares, com cinco salas de aulas cada, segundo o responsável do FAS, foi financiada pela administração municipal.
No ano passado, lembrou, foram desenvolvidas acções de formação e capacitação dos quadros das administrações municipais de Malanje, Mucari, Cacuso e Calandula, para a elaboração dos perfis dinâmicos, no âmbito do reforço das administrações municipais.
Joaquim Fernandes lamentou a falta de meios financeiros, que, na sua óptica, contribuíram para a não conclusão dos projectos de construção de sete salas de aula, duas residências para professores e uma residência para técnicos de enfermagem nos municípios de Cangandala e Kiwaba-Nzoji.
Para o presente ano, as perspectivas apontam para a preparação de 30 Agentes de Desenvolvimento Comunitário, que vão trabalhar na comuna do Xandel, município do Quela, visando garantir assistência médica e medicamentosa à população naquela circunscrição.

Tempo

Multimédia