Províncias

Gado de qualidade na Feira de Cacuso

Francisco Curihingana | Malange

O município de Cacuso, 70 quilómetros a oeste da cidade de Malange, acolheu recentemente a primeira feira do gado zebu organizada pela “Fazenda Terras de Koló”. A empresa organizadora pôs à disposição dos participantes, 485 animais de várias categorias com destaque para as “novilhas prenhes” e “tourinhos” nascidos em Cacuso e com controlo genético.

O gado Zebu é proveniente do Brasil e está a reproduzir-se em Angola
Fotografia: Eduardo Cunha|Malange

O município de Cacuso, 70 quilómetros a oeste da cidade de Malange, acolheu recentemente a primeira feira do gado zebu organizada pela “Fazenda Terras de Koló”. A empresa organizadora pôs à disposição dos participantes, 485 animais de várias categorias com destaque para as “novilhas prenhes” e “tourinhos” nascidos em Cacuso e com controlo genético.
A “Fazenda Terras de Koló” realizou a feira em parceria com a Empresa Agropecuária de Angola (Agritrade). Renato Hermínio, proprietário da “Terras de Koló” considerou “muito arriscado” trazer o gado bovino do Brasil e trabalhar em condições de pasto adaptado.
Renato Hermínio considerou ter enfrentado inúmeros problemas que foram ultrapassados graças ao empenho e dedicação do grupo de trabalho. “A boa notícia é que continuamos a ter resultados muito encorajadores que nos fazem acreditar que é possível, apesar de algum cepticismo, criar o zebu em Angola. Já temos animais nascidos em Angola”, disse visivelmente satisfeito Renato Hermínio.
O fazendeiro aconselhou outros homens de negócios a apostarem na criação do gado pois “é viável trabalhar zebu em Angola”.
 
Governador satisfeito
 
O governador de Malange, Boaventura Cardoso, saudou a iniciativa da administração da “Fazenda Terras de Koló” e afirmou que Malange é uma terra com muitas potencialidades que precisam ser transformadas, aproveitadas e desenvolvidas.
Ao considerar Malange um gigante adormecido, Boaventura Cardoso lançou um desafio aos homens de negócios a investirem na província porque, “a nossa terra é abençoada por Deus, aqui podemos trabalhar com a certeza de que os resultados serão positivos”.
Boaventura Cardoso disse que iniciativas como a feira do gado zebu em Cacuso levam ao mundo as potencialidades do país e encorajam os homens de negócios a investir.  O secretário de Estado da Agricultura, José Amaro Tati, presente na feira, disse que a feira representa a inversão do quadro de dependência de importação de carne. Aconselhou a realização de mais esforços para que o país adquira o seu verdadeiro potencial em termos de desenvolvimento.
José Amaro Tati disse ainda que com a paz o nosso país pode produzir muito e para que tal aconteça, é necessário que os homens de negócios saibam dirigir os seus investimentos.
 
Criadores satisfeitos
 
A primeira feira de gado zebu teve grande adesão de criadores locais. Eduardo Veloso adquiriu quatro reprodutores da “raça nelore” que espera possam melhorar geneticamente os animais que já possui na sua fazenda.
Eduardo Veloso pagou 11.000 dólares a pelos quatro reprodutores. O ganadeiro diz que “os preços não são compatíveis”, mas, “só a concorrência do mercado pode resolver esta situação”, disse.
A “Fazenda Terras de Koló” tem uma superfície de 18.400 hectares dos quais, 8.000 hectares aproveitados. O projecto tem três anos, conta com 44 lotes de bois e espera aproveitar a terra disponível para fins agrícolas. Pretende-se cultivar, fundamentalmente, milho, feijão e hortícolas diversas.

Tempo

Multimédia