Províncias

Gestores públicos do Uíge aperfeiçoam conhecimentos

Valter Gomes | Uíge

As técnicas de atendimento ao cidadão, a valorização dos serviços públicos e o resgate da imagem do servidor público do Uíge podem conhecer um cenário melhor, em breve, fruto de um seminário de capacitação, realizado ontem, em que participaram gestores públicos de unidades orçamentadas e directores provinciais.

Fotografia: Jaimagens | Edições Novembro

Na formação, promovida pela Escola Nacional da Administração (ENAD), afecta ao Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, participaram  responsáveis de centros de formação profissional, chefes de departamento e de secção do Governo Provincial do Uíge.
O seminário visou promover o resgate da imagem do servidor público e reconhecer a importância social deste elemento do funcionalismo do Estado.
A directora adjunta para área de formação da ENAD, Madalena Kiala, que orientou a formação, defendeu a necessidade de valorizar-se cada vez mais os serviços públicos e os seus servidores.
Para tal, disse ser necessário que os funcionários pautem pela deontologia profissional e primem pelo princípio de atendimento humanizado ao cidadão.
 A responsável avançou que se pretende, com a formação, estabelecer uma relação de parceria entre a administração pública e os cidadãos, assim como aproximar os serviços públicos às comunidades.
O programa de valorização dos serviços públicos, lançado em 2016, foi implementado em 12 províncias do país, no quadro do projecto que aborda as questões ligadas à pauta deontológica do serviço público.O delegado provincial das Finanças, no Uíge, Laurindo Fernando, avançou que o Governo está a desenvolver um conjunto de acções com vista a ultrapassar os constrangimentos vividos por cidadãos, quando estes se dirigem às áreas de atendimento público.
“Com estas acções, pretende-se reforçar a capacidade técnica dos funcionários afectos às áreas de atendimento ao público dos diversos serviços, visando garantir gradualmente a sua melhoria e excelência na prestação de serviços, para maior satisfação do cidadão”, frisou.
O delegado das Finanças referiu que  existe um conjunto de factores que afectam de forma negativa a relação entre o serviço público e o cidadão, aliados à falta de capacidade técnica de alguns funcionários públicos de deontologia profissional.
Daí, o Executivo estar a implementar reformas na função pública, com vista a melhorar o funcionamento das instituições e proporcionar um atendimento humanizado aos cidadãos.

Tempo

Multimédia