Províncias

Governador do Zaire exige mais criatividade

Victor Mayala

A necessidade de haver maior criatividade por parte dos quadros da administração pública, para lograr eficiência na prestação de serviços aos cidadãos, foi uma das premissas defendidas pelo governador provincial do Zaire, Joanes André, quando recebia cumprimentos de fim de ano.

Fotografia: Jaimagens | Edições Novembro

“Os quadros devem ter iniciativas, não esperar para apenas cumprir ordens”, disse o governante, que de seguida reiterou o combate a práticas danosas à prestação do serviço público, com realce para a desburocratização dos procedimentos administrativos, com vista a melhorar o atendimento, tanto aos cidadãos, como aos investidores.
Para ele, o cidadão nacional e o investidor “não podem esperar muito para ver o seu problema resolvido”. Perante membros do seu pelouro, Joanes André justificou que alguns projectos gizados para a província não foram ainda concluídos, por culpa da crise económica e financeira que o país vive, embora ter reconhecido os avanços registados, durante os últimos cinco anos, nos sectores da educação, saúde e energia eléctrica.
“Decorrem neste momento projectos de construção de novas estações de tratamento de água potável nos municípios de Mbanza Kongo, Soyo e Nzeto.
São acções que vão melhorar significativamente o abastecimento de água potável à população, a partir de Outubro próximo”, referiu. No domínio da rede viária, o governador do Zaire falou da estrada entre Mbanza Kongo e Kuimba com financiamento garantido, devendo as obras serem intensificadas neste ano. Joanes André manifestou-se preocupado com o troço Mbanza Kongo/Nóqui cujas obras de reabilitação encontram-se paralisadas por falta de verbas. Pediu aos seus colaboradores maior disciplina, humildade, sobretudo trabalho em equipa, premissas indispensáveis para alcançar os êxitos desejados pela população.

Tempo

Multimédia