Províncias

Governador exige mais trabalho dos seus colaboradores directos

Armando Sapalo | Dundo

O governador provincial da Lunda-Norte, Ernesto Muangala, pediu aos seus colaboradores “mais trabalho e pouca conversa” na implementação das acções que constam do programa social para o próximo quinquénio, que contempla três principais eixos, com realce para educação e ensino, vias de comunicação e electrificação da província.

Durante a conferência de imprensa, o responsável máximo da província da Lunda-Norte abordou assuntos que visam o crescimento sustentável
Fotografia: Benjamim Cândido | Edições Novembro

Ernesto Muangala prestou tais declarações durante uma conferência de imprensa aos órgãos de comunicação social locais, no âmbito dos primeiros 100 dias de governação, desde a sua recondução e tomada de posse ao cargo de governador da Lunda-Norte.
Educação e ensino, vias de comunicação e electrificação da província são os sectores eleitos com vista à dinamização dos distintos programas, para o progresso, que as autoridades locais se propõem executar, declarou o governador.
Ernesto Muangala disse que, por se tratar de um mandato de continuidade e por força da crise financeira que o país enfrenta, muitos programas transitaram para serem executados nos próximos quatro anos de vigência da governação.
O primeiro dos três eixos que o governador promete dar continuidade quanto à sua implementação tem a ver com a atenção especial que deve ser dada ao homem, enquanto epicentro do desenvolvimento de qualquer sociedade, afirmou o governante. 
 Disse apostar na educação, instrução e formação académica e técnico-profissional das pessoas, tendo como ponto de partida a ampliação da rede escolar com novas infra-estruturas, desde o ensino primário, I e II Ciclos e melhorar, também, os investimentos voltados ao subsistema do ensino superior, por via da implementação de novos cursos na Universidade Luegi A´Nkonde.
Deu como exemplo o reforço do sector da educação, com a construção e entrada em funcionamento neste ano lectivo de dois novos institutos médios, sendo um de Formação de Técnicos de Saúde no Dundo, com vinte salas de aula, e outro de Administração e Gestão no município do Lucapa.
Ernesto Muangala sublinhou que a prioridade recai para a área técnico-profissional, como saúde, agronomia, construção civil, gestão e administração, electricidade e informática, tendo em vista a oferta de cursos diversificados à comunidade estudantil.
Segundo o governador, é estratégia das autoridades locais o aumento de mais de 70 por cento do fluxo de entrada de jovens estudantes no ensino médio, um processo que visa fundamentalmente compatibilizar as necessidades de escolarização e formação de quadros, por via de recursos que têm sido disponibilizados.
Realçou os esforços que estão a ser empreendidos para que o ensino médio técnico-profissional seja realidade em toda a província, para que a população mais jovem possa estar à altura de encarar com seriedade os desafios do futuro.

Vias de comunicação
O segundo dos três eixos de desenvolvimento da Lunda-Norte, segundo o governador, tem a ver com a melhoria das vias de comunicação.
A Lunda-Norte, explicou, além de ser a terceira maior província do país em termos de extensão territorial, possui igualmente uma significativa malha rodoviária, com um total de seis mil quilómetros de estradas por intervencionar.
Em termos de infra-estruturas aeroportuárias, o governador recordou que foi concluído e já em funcionamento o aeroporto “Kamaquenzo” no Dundo e sublinhou a necessidade da reabilitação e modernização dos aeródromos localizados nos municípios do Lucapa, Cambulo, no N´zagi, Luzamba e Cafunfu, no Cuango, e do Camaxilo, em Caungula.
No quadro dos projectos estruturantes para as vias de comunicação na Lunda-Norte, o governador anunciou para breve o início de estudos que vão permitir a ligação da Linha Férrea até ao Dundo.
“Os estudos para a ligação da Linha Férrea ate ao Dundo vão iniciar brevemente”, disse, explicando que se trata dos Caminhos-de-Ferro de Benguela (CFB), passando por Saurimo até à capital da Lunda-Norte e de Luanda (CFL), com o percurso Ndalatando, Malange até ao Dundo.
Lembrou que a concretização desses projectos resultam das promessas eleitoras, em que o actual Presidente da República anunciou a ligação da cidade do Dundo, capital da Lunda-Norte, com o resto do país, a partir das duas Linhas Férreas, litoral norte, a partir da Luanda, e litoral sul, do Lobito. 

Energia eléctrica
O terceiro e último eixo de desenvolvimento da Lunda-Norte, dos três apontados pelo governador Ernesto Muangala, é a energia eléctrica que, na sua óptica, vai lançar a província na promoção do sector industrial.
Ernesto Muangala assegurou que os investimentos na energia eléctrica a nível da Lunda-Norte estão no bom caminho, tendo em conta que estão em curso obras de reabilitação e aumento da potência do aproveitamento hidroeléctrico do Luachimo, de 8.4 para 34 megawatts.
A central hidroeléctrica do Luachimo vai no futuro estar interligada ao sistema energético do leste a partir das barragens do Chicapa, em Saurimo, e Chiumbwe, no Dala, ambos na província da Lunda-Sul, e ao Capanda, em Malange, informou o governador.
Para se alcançar as metas preconizadas, o governante apontou a necessidade de se definir um novo paradigma para o desenvolvimento da província, com quadros competentes, enquanto servidores públicos.
Prometeu retribuir a confiança da população, com mais trabalho, rigor, disciplina e transparência na gestão do erário, com vista a materialização de Programas de Investimentos Públicos, destinados à melhoria das condições de vida das famílias residentes na Lunda-Norte.
 O governador declarou que algumas das principais realizações nos primeiros 100 dias de governação à frente dos destinos da Lunda-Norte consistiram na preparação dos seus colaboradores, para tomar contacto e domínio da legislação que orienta a organização e o funcionamento da Administração Local do Estado.

Apontadas soluções para a diminuição da criminalidade na região

O Governo da Lunda-Norte está  empenhado na melhoria da distribuição da electricidade na cidade do Dundo e arredores,  com vista à diminuição da criminalidade na circunscrição, informou o governador provincial.
 Ernesto Muangala manifestou esta vontade durante um encontro promovido pela delegação local do Ministério do Interior, para a análise com a população de formas para  travar  a delinquência que assola sobretudo os municípios de Lucapa e de Chitato. Ao dirigir-se aos presentes, Ernesto Muangala disse que encara com bastante tristeza a situação delituosa actual, razão pela qual solicitou a colaboração de todos na denúncia dos crimes.
“O fraco abastecimento de combustível à central térmica do Dundo influencia nas restrições da energia nos bairros, condicionando o trabalho operativo da Polícia, daí o aumento da delinquência”. Ernesto Muangala disse estarem em curso esforços para a  solução do problema de distribuição da corrente eléctrica aos domicílios e na melhoria da iluminação pública, tendo em conta as restrições. 
Dados avançados na ocasião indicam que 1.796 crimes foram registados em 2017 na província, com um aumento de 163 casos em relação a igual período anterior, sendo 1.512 esclarecidos, culminando com a detenção de mil supostos criminosos, dos quais  duzentos estrangeiros  provenientes da RDC.
Frente ao nível de insegurança, a população sugeriu, entre outras medidas, o reforço do policiamento nas comunidades e a criação de um mecanismo de vigilância, no qual participem os próprios cidadãos, devido a insuficiência de meios e de efectivos da Polícia.

Tempo

Multimédia