Províncias

Governador pede lisura na admissão de professores

O governador da província do Huambo orientou os administradores municipais a actuarem com rigor e responsabilidade no concurso público de admissão de professores, de modo a evitar a fraude.

Fotografia: Edições Novembro

Num encontro com os membros do Governo da província, João Baptista Kussumua falou da necessidade da obediência escrupulosa aos procedimentos de realização do concurso público plasmados no Despacho Conjunto n.º 95/18, de 12 de Abril, dos ministros da Administração do Território e Reforma do Estado e da Educação.
Os documentos dos candidatos, segundo o governador do Huambo, devem ser entregues aos administradores, que, por sua vez, têm a responsabilidade de tornar o processo exequível e imaculado, com base no rigor e transparência, no cumprimento da lei e da melhoria da qualidade do ensino.
João Baptista Kussumua disse que o despacho conjunto orienta o governador provincial a proceder à abertura do concurso público de ingresso de professores no ensino primário, enquanto para o I e II ciclos do ensino secundário cabe a responsabilidade à ministra da Educação.
João Baptista Kussumua explicou que o despacho orienta, de igual modo, o perfil do pessoal a contratar, ter idade entre os 18 aos 35 anos e o ensino médio concluído, bacharelato e licenciatura nas escolas de professores ou de agregação pedagógica e qualificação na disciplina a que se candidata.
João Baptista Kussumua disse que a província dispõe de 1.372 vagas no sector da Educação,  distribuídas por cada município, de acordo com a densidade populacional e o número de crianças fora  do sistema de ensino.

Tempo

Multimédia