Províncias

Governo aposta na melhoria das estradas

Elautério Silipuleni | Ondjiva

O Governo Provincial do Cunene, depois de concluídas as vias estruturantes que ligam a cidade capital e as sedes municipais, lançou o projecto de reabilitação das vias secundárias e terciárias que ligam a sede do município de Ombadja às comunas de Ombala-yo-Mungu e Chivemba.

Algumas vias de acesso às comunas do município de Ombadja ficam lamacentas na época da chuva o que dificulda a circula
Fotografia: Venâncio Amaral|cunene

As obras enquadram-se no programa de reabilitação das vias terciárias de Ombadja. Nesta primeira fase, as obras incidem na colocação de passagens hidráulicas e trabalhos de terraplenagem.
Os trabalhos de reabilitação da via terciária Xangongo/Ombala-yo-Mungu, a cargo da empresa chinesa CRBC, numa extensão de 37 quilómetros, estão orçados em 148 milhões de kwanzas. Já o troço Xangongo/Chivemba, também numa extensão de 37 quilómetros, avaliado também em cerca de 148 milhões de kwanzas, está adjudicado à empresa Terrasul, cujas obras são concluídas em meados do próximo ano.
O governador provincial do Cunene, António Didalelwa, que apelou à população a colaborar com as empresas de construção civil, considerou relevante e prioritário o trabalho de reabilitação das estradas terciárias em toda a extensão da província.  “Estrada significa livre circulação de pessoas e bens”, disse o governador, referindo que o Governo vai continuar a prestar especial atenção ao trabalho de reabertura das vias terciárias, para permitir o escoamento de produtos agrícolas do campo para os centros urbanos da província. “Para colocarmos escolas, hospitais, comércio e outros serviços junto da população é preciso que tenhamos estradas”, lembrou.
O estado actual das vias entre a sede municipal de Ombadja e a comuna de Ombala yo Mungu e Chivemba, na comuna de Kanganda, tem dificultado o escoamento dos produtos do campo para os centros comerciais. “Estas comunas têm grandes potencialidades agrícolas, por possuírem recursos hídricos e terras férteis para o cultivo de vários produtos, como arroz, milho, batata, feijão, assim como a criação de gado”, referiu o governador.

Tempo

Multimédia