Províncias

Governo garantiu apoio a camponeses associados

José Rufino | Luena

O governo da província do Moxico vai apoiar as associações de camponeses controladas pelas direcções provinciais da Família e Promoção da Mulher e Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, garantiu sexta-feira a vice-governadora do Moxico para o Sector Político e Social.

Fotografia: JAIMAGENS.COM

Adriana Cacuassa Bento, que falava no término da vista que efectuou a sete associações de camponeses nas localidades de Luangrico, Ndongue, Mumanga, Saissazo, Muapezo Luculo e Luando, nos municípios do Moxico, Leua e Kamanongue, acrescentou que o governo local vai implementar acções que visam apoiar as associações de camponeses, para aumentar a produtividade.
A vice-governadora da província do Moxico afirmou que a mulher rural está engajada em projectos agrícolas e, para tal, precisa de muitos apoios para diversificar a produção e garantir o auto-sustento.
Adriana Bento foi informada sobre o funcionamento das associações e ouviu as preocupações dos associados, como a falta de acessos a créditos bancários,  instrumentos de trabalho, sementes agrícolas, transporte para o escoamento de produtos, mau estado das vias, falta de escolas e postos médicos. Cada associação ocupa uma área de 340 hectares, assegurados por 258 associados, entre os quais 56 mulheres, que se dedicam ao cultivo de mandioca, milho, couve, cebola, cana-de-açúcar, ananás  batata-doce e rena, tomate, repolho, alface, cenoura, arroz e  banana.
Além da actividade agrícola, as associações estão empenhadas também na prática da piscicultura e neste momento já controlam 12 tanques para a criação de várias espécies. Este projecto está a ser apoiado pela Federação Luterana, no que toca à formação sobre piscicultura, tendo sido já formados mais de 300 associados a nível da província.
Adriana Cacuassa Bento visitou também as associações das mulheres ligadas ao projecto de fabricação de sabão caseiro, no município do Moxico, que desde a sua implementação já garantiu 111 postos de trabalhos a várias mulheres, com idade compreendida entre os 29 e os 40 anos.
“O projecto de fabricação de sabão é um facto, pois que diariamente produz mais de dez caixas que são comercializadas no mercado local a 600 kwanzas cada barra”, sublinhou a vice-governadora.

Tempo

Multimédia