Províncias

Governo melhora as condições sociais das famílias

Nicodemos Paulo | Uíge e Isidoro Samutula | Dundo

A vice-governadora para o Sector Político e Social do Uíge reafirmou segunda-feira, na vila de Mucaba, a intenção do Governo Provincial em continuar a proporcionar melhores condições económicas e sociais às famílias, para que as crianças cresçam com saúde e bem-estar.

 

As famílias devem mudar de atitude em relação às crianças criando as melhores condições possíveis para que elas se desenvolvam
Fotografia: Dombele Bernardo

Maria da Silva falava no acto comemorativo do Dia da Criança Africana, actividade que contou com a presença de mais de mil crianças, além de um número considerável de professores, autoridades tradicionais e religiosas.
A vice-governadora garantiu às crianças que o Governo vai continuar a desenvolver acções que visam a promoção da criança na cultura, desporto, saúde e na comunicação social, dando resposta aos 11 Compromissos do Governo para a Criança. “Estamos a construir mais escolas, melhorámos a assistência materno-infantil, a garantir a segurança nutricional e a protecção social, criminalizando toda a forma de violência infantil, para que as nossas crianças cresçam saudáveis”, disse.
As comemorações do Dia da Criança Africana devem servir de reflexão sobre o comportamento dos pais e outros autores sociais, disse a vice-governadora, que pediu às famílias no sentido de mudarem de atitude em relação às crianças, criando as melhores condições para que elas se desenvolvam em todas as suas capacidades.
 A administradora municipal de Mucaba, Piedade Hebo Benze, disse que no município desenvolve-se um trabalho positivo com vista à protecção e promoção da criança, nos domínios da educação e saúde, e através da criação de redes de protecção social em todas as comunidades, integrando autoridades tradicionais, religiosas e outros agentes da sociedade civil, que fazem cumprir e defender os direitos da criança. Entre 2012 e 2014 foram matriculadas 9.700 crianças e construídas 40 salas de aulas.
 No domínio dos cuidados primários de saúde realizam-se campanhas de vacinação para redução da mortalidade materno-infantil e combate à desnutrição das crianças menores de cinco anos.“Potenciámos as famílias com inputs e alfaias agrícolas para que as suas crianças tenham sustento, evitando a má nutrição e tenham a paternidade responsável”, afirmou.
Na cerimónia, animada com cânticos, peças teatrais e danças tradicionais, os adultos envolveram-se nas brincadeiras infantis e ajudaram a criar um ambiente de festa e harmonia. As crianças receberam brinquedos, materiais didácticos e outros brindes e aproveitaram para solicitar ao Governo e encarregados de educação maior atenção às suas necessidades.
“Queremos que sejam construídos parques infantis, que a merenda escolar seja extensiva a todas as escolas da província, sejam admitidos mais professores e que os pais não levem as crianças às lavras nos dias de escola”, apelaram as crianças na sua mensagem. Acrescentaram que os adultos não devem dar trabalhos pesados às crianças e, também, não devem permitir que elas sejam vítimas de violência doméstica como se tem verificado.

Crianças internadas

Crianças internadas na pediatria do Hospital Municipal do Chitato, na Lunda Norte, receberam diversos brinquedos oferecidos pelo Governo Provincial, no âmbito do Dia 16 de Junho, consagrado à criança africana.
As crianças, internadas com diversas patologias, mostraram a sua alegria pelo facto de não terem sido esquecidas nesta data tão especial. O director provincial da Educação, Bartolomeu Dias Sapalo, disse que o Governo Provincial tem dado uma atenção especial às crianças, o que se reflecte na construção de escolas e hospitais para o bem-estar dos pequenos.
Os novos postos e centros de saúde construídos, dispõem de serviço de pediatria para garantir a assistência médica e medicamentosa às crianças. Em relação ao sector da Educação, disse que vão surgir novas salas em todas as localidades da província, que todas as crianças estejam inseridas no sistema de ensino.
Ao afirmar a sua preocupação com o crescente número de criança vendedoras ambulantes, disse que muitos delas o fazem sob orientação dos pais, o que é grave e constitui motivo de preocupado para as autoridades locais.
“A atitude dos pais que assim procedem é, a todos os títulos, reprovável.” O Governo Provincial vai tomar medidas para se evitar esta prática.
Os progenitores devem preocupar-se em levar os filhos à escola e não a fazer deles uma 'arma' do sustento da família", alertou.

Tempo

Multimédia