Províncias

Governo pede maior aposta de investidores

Carlos Paulino | Menongue

O governador provincial do Cuando Cubango, Pedro Mutindi, convidou sexta-feira, em Menongue, os investidores a apostarem em projectos nos sectores agro-pecuário,  indústria, apicultura e aquicultura a nível da região.

Autoridades governamentais apresentaram áreas para negócios na província e asseguram condições para investimentos de empresários locais
Fotografia: Carlos Paulino

Pedro Mutindi garantiu a disponibilidade da parte do Governo, para a execução dos programas nas referidas áreas, devendo cada investidor beneficiar de mil hectares, quando solicitar por escrito.
“Quem tiver ideias, que sejam realmente criativas e nos apontem os melhores caminhos que devemos trilhar para irmos mitigando a situação que o país e, em particular a província do Cuando Cubango está a viver devido à crise económica e financeira, que avance”, frisou.
Apesar da crise, o governador encorajou os empresários a continuarem firmes, unidos e persistentes nos seus propósitos, tendo em conta que o Executivo não tem poupado esforços para encontrar soluções que ultrapassem a actual conjuntura económica. Pedro Mutindi referiu que o governo local tem consciência de que, para o efeito, é necessário apostar numa classe empresarial cada vez mais forte, competitiva, auto-suficiente e com capacidade para produzir mais e melhor.
O governante assegurou igualmente que vai continuar a manter encontros com os empresários, uma vez que são a base produtiva da região e com a responsabilidade de inovarem e trabalharem em conjunto com o Governo na busca de soluções eficientes para os problemas da região.
Pedro Mutindi manifestou-se preocupado com o aumento significativo de garimpeiros, sobretudo provenientes da República Democrática do Congo, que exploram ilegalmente diamantes, no município de Mavinga.
Pedro Mutindi, que falava durante um encontro com a classe empresarial e responsáveis das instituições bancárias na região, revelou que mais de mil garimpeiros podem estar a explorar ilegalmente diamantes, em Mavinga, levando o dinheiro para os seus países.

Reforço da segurança

Para travar o garimpo, o governador provincial exortou para o reforço do controlo e segurança a nível das zonas exploradas. “Temos de fazer um combate cerrado a esta prática, que tem prejudicado os cofres do Estado”, referiu.
O governador provincial manifestou ainda preocupação pela exploração desordenada da madeira, principalmente por cidadãos chineses e vietnamitas, que diariamente secam centenas de árvores.
Reconheceu que o Cuando Cubango é muito rico e abençoado, em termos de recursos naturais, com terras aráveis, água em abundância, diamante, ouro, magnésio e uma fauna e flora invejável, mas a falta de uma boa exploração destes bens o tornam ainda uma parte do país com pouco desenvolvimento. Por este motivo, reforçou o apelo aos empresários locais para serem mais ousados na aposta nos sectores primários acima avançados, com destaque para o agro-pecuário e industrial.
Pedro Mutindi convidou também os empresários a criarem sinergias e parcerias, não bastando apenas associarem-se à Câmara de Comércio e Indústria, mas estarem mais fortes na capacidade de negociação e de execução de projectos.
Sublinhou que é ainda importante que os empresários reforcem a sua relação com o sector bancário, sobretudo com a apresentação de projectos inovadores e desafiantes, assim como apostarem também na formação e na capacitação dos recursos humanos ao seu dispor.

Tempo

Multimédia