Províncias

Governo vai confiscar edifícios abandonados

O Governo da Província da Huíla pretende, ainda no decurso deste ano, confiscar edifícios privados abandonados, mas antes vai dar  uma moratória aos proprietários, caso manifestem incapacidade as autoridades assumirão os mesmos imóveis.

Instalações abandonadas estão sob a mira das autoridades
Fotografia: Jaimagens | fotógrafo

O governador da Huíla, João Marcelino Tyipinge, que falava à imprensa no final de uma visita a alguns edifícios abandonados, considerou que são abrangidos por esta medida os edifícios do antigo Cine-Odéon e Arco-Íris, bem como o empreendimento que liga ao prédio 4, e um outro imóvel de três pisos na Avenida Hoji-Ya-Henda, todos localizados na cidade do Lubango.
Apesar de não avançar o período em que são feitos os procedimentos de confisco, sublinhou que os mesmos serão reabilitados por meio de um concurso público a ser feito a posterior e, consequentemente passarão à gestão pública.
João Marcelino Tyipinge disse que o primeiro passo é   persuadir os proprietários   a reverem a sua política e buscar parcerias caso não tenham capacidade de recuperá-los.  .
“O Governo está empenhado em fazer do Lubango uma bela cidade, melhor do que aquela que os portugueses deixaram e, a partir daí, continuar a atrair mais turistas nacionais e estrangeiros a investir em várias áreas do saber para o seu desenvolvimento”, disse João Marcelino Tyipinge.

Tempo

Multimédia