Províncias

Habitantes do Sango têm mais água potável

Pedro Suculate| Massabi

Duzentas e quinze famílias da aldeia de Sango, na comuna de Massabi, município de Cacongo, em Cabinda, passam a beneficiar de água potável, captada a partir de um sistema alimentado por furo artesiano.

População deixa de percorrer distâncias em busca de água
Fotografia: António Soares| Edições Novembro | Massabi

O sistema é fruto de um financiamento da Chevron e Associadas do Bloco 0, orçado em 250 mil dólares.
O secretário da coordenação da aldeia do Sango, André Muindo, manifestou-se satisfeito com a inauguração do sistema de água, pois, como enfatizou, há 64 anos que os aldeões daquela localidade dependiam de rios e cacimbas e nem sequer beneficiavam de qualquer projecto social.
“Esperamos que depois desse projecto venham outros, com destaque para os da saúde, educação e transporte, no intuito de proporcionar melhor qualidade de vida à população da nossa aldeia, para que, com a beleza da lagoa de Massabi, façam dela uma autêntica zona turística”.
O director de operações e projectos da Chevron, Bernardo Domingos, disse que o sistema de água entregue à população é uma clara demons-
tração do compromisso social que a multinacional tem para com as comunidades das áreas onde trabalha e o respeito pela parceria com Governo da província de Cabinda.
O vice-governador para a Área Técnica, Joaquim Malichi, disse que a problemática de acesso da população à água tratada “constitui uma luta permanente do Executivo”, por ser, segundo reforçou o governante, dos pressupostos fundamentais para a melhoria do bem-estar e da redução de transmissão de doenças.

Tempo

Multimédia