Províncias

Habitantes do Andulo solicitam mini-hídrica

Habitantes do Andulo, na província do Bié, clamam pela reactivação do projecto de construção da mini-hídrica sobre o rio Cutato, para fornecer energia eléctrica àquela circunscrição.

Mais criancas da região podem aprender a escrever
Fotografia: Victor Pedro | Edições Novembro

O projecto começou a ser desenvolvido em 2011, pela Agência de Cooperação Internacional Japonesa (JICA).
Os custos globais deste projecto, que deviam ser financiados pelo governo japonês, estão avaliados em 50 milhões de dólares. O projecto está parado há mais de seis anos, por falta de financiamento, o que está a inquietar a população local.
A reportagem do Jornal de Angola ouviu alguns munícipes que clamam pela implementação do projecto, uma vez que já foi concebido pelo Ministério da Energia e Águas.
Artur Chicolomuenho, residente no bairro António Agostinho Neto, arredores da sede do Andulo, disse que “A construção de uma mini-hídrica é a melhor forma de abastecer toda a sede municipal”, acrescentando que um empreendimento desta natureza vai gerar novos empregos na região. />Fernando Gombe, residente na sede municipal do Andulo, apelou às autoridades de direito no sentido de materializarem o projecto de construção da mini-hidrica. Realçou que um dos principais benefícios da construção da mini-hídrica do rio Cutato é contribuir para o desenvolvimento rural, através da melhoria do abastecimento de energia, o que vai impulsionar a produção agropecuária e o surgimento de pequenas indústrias transformadoras.
O empresário Figueira Gaspar reconheceu que este projecto trará benefícios económicos e sociais à população do Andulo.
“A implementação do projecto da construção da mini-hídrica é importante, porque vai resolver as dificuldades que o município enfrenta no domínio da corrente eléctrica e criar postos de trabalho”.

Tempo

Multimédia