Províncias

Hemoterapia do hospital tem sangue em quantidade

Leonor Mabiala|Cabinda

Os serviços de hemoterapia do Hospital Central de Cabinda possuem stocks suficientes de sangue para atender eventuais casos durante a quadra festiva e o Campeonato Africano das Nações (CAN), garantiu a directora do Centro Nacional de Sangue, Luzia Fernandes Dias.

Os serviços de hemoterapia do Hospital Central de Cabinda possuem stocks suficientes de sangue para atender eventuais casos durante a quadra festiva e o Campeonato Africano das Nações (CAN), garantiu a directora do Centro Nacional de Sangue, Luzia Fernandes Dias.
A responsável, que falava durante o acto de encerramento da campanha de doação voluntária de sangue, promovida pela Emissora Provincial da Rádio Nacional de Angola e outros parceiros, acrescentou que o objectivo da campanha foi constatar o grau de organização e de colheita de sangue na principal unidade sanitária de Cabinda, já que a província vai acolher uma das séries do Campeonato Africano das Nações de Futebol.
Luzia Dias apelou a outras instituições do país e à população em geral a seguirem o exemplo da Emissora Provincial da Rádio Nacional de Angola, de modo a contribuírem para o aumento de stocks de sangue, já que, conforme afirmou, os 75 por cento de sangue colhidos são insuficientes, porque esta cifra tem sido empregue na assistência às crianças, mulheres grávidas com complicações durante o parto e para casos de acidentes.
“Precisamos de mais dadores de sangue para aumentar as quantidades desse produtos”, disse. O chefe do departamento de relações públicas da Chevron, Paulino Macosso, falando em nome da companhia e associados do Bloco Zero, na qualidade de parceiro do projecto, disse que “dar sangue é dar vida” e por isso, acrescentou, é imperiosa a doação voluntária de sangue para evitar mortes de crianças e mulheres grávidas, causadas por falta desse produto, em muitos hospitais do país.
Paulino Macosso disse que a Chevron e associados do Bloco Zero juntam-se aos esforços do Governo e de outros parceiros, trabalhando em comum, para se atingir a meta de 100 por cento de dadores voluntários traçada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).
O director do Hospital Provincial de Cabinda, Damas Macaia, agradeceu o gesto da Emissora Provincial da Rádio Nacional de Angola, da Chevron e associadas pela promoção de acções voluntárias de doação de sangue, facto que contribuiu para a redução significativa de casos de mortalidade infantil, ligados à anemia severa e hemorragia pós-parto.
“As campanhas de doação voluntária de sangue levadas a cabo durante o ano de 2009 contribuíram na melhoria do gráfico de mortalidade.
O projecto “dar sangue é dar vida” existe desde 2005, numa iniciativa da Emissora Provincial da Rádio Nacional de Angola com a parceria do governo local, Chevron e Associadas do Bloco Zero, Forças Armadas Angolanas (FAA), Polícia Nacional, jovens de diversas organizações, Igrejas e da Organização da Mulher Angolana (OMA).

Tempo

Multimédia