Províncias

Hospital Geral precisa de neurologistas e psiquiatras

Matias da Costa | Cuito

O Hospital Geral do Bié está com défice de atendimento para as doenças crónicas nas áreas de Neurologia, Psiquiatria e Dermatologia por falta de médicos especialistas.

Principal infra-estrutura hospitalar do Bié está a restringir o atendimento de alguns pacientes por falta de especialistas
Fotografia: Edson Fabricio|Edições Novembro

O director clínico da instituição disse que a situação está a causar enormes constrangimentos a pacientes na província. 

João Menezes informou que os doentes que devem ser consultados pelos referidos especialistas são encaminhados para as províncias do Huambo e de Benguela.
“Os casos de doentes que procuram assistência nestas especialidades tendem a aumentar, “complicando, cada vez mais, o quadro clínico na província”.
João Menezes fez saber que os serviços médicos do hospital são assegurados pelas áreas de Medicina, Cirurgia e Ortopedia. As especialidades de Cardiologia, Otorrino e Estomatologia, por terem apenas um médico cada, não prestam assistência regular.
Questionado sobre os casos constantes de falecimentos na unidade sanitária, João Menezes disse que, “em parte, a culpa é dos próprios pacientes e familiares por recorrerem ao hospital só em estado grave em consequência da automedicação”.
E acrescentou: “Temos registado muitos casos de doentes que não vão ao hospital para saberem o que têm exactamente. Portanto, fazem a medicação com base em receitas anteriores e às vezes chegam ao hospital já em estado crítico e acabam por morrer.”

 

Tempo

Multimédia