Províncias

Hospital da vila do Cuilo entra em funcionamento

Armando Sapalo | Cuílo

A assistência médica e medicamentosa à população do município do Cuílo, na Lunda-Norte,  acaba de melhorar  com a entrada em funcionamento do primeiro Hospital Municipal, desde a Independência Nacional.

Habitantes do Cuilo mais aliviados por passarem a ser assistidos de forma condigna
Fotografia: Benjamim Cândido | Edições Novembro

Com capacidade para 100 camas, distribuídas por três enfermarias, o empreendimento social foi inaugurado na segunda-feira pelo governador provincial Ernesto Muangala, no âmbito do programa de melhoria dos serviços essenciais básicos à população.
A  unidade hospitalar vai atender pacientes do município do Cuílo e outros de zonas circunvizinhas do Lubalo e Caungula, que ainda carecem de serviços de saúde.
Com duas salas de partos, a nova unidade sanitária  presta serviços antes inexistentes no município rural do Cuílo, com destaque para a cirurgia, ortopedia, maternidade, além de uma área especializada de atenção primária às crianças, com vista a monitorarizar o seu desenvolvimento.
O Hospital Municipal do Cuílo tem ainda disponíveis os serviços de estomatologia, laboratório de análises clínicas, sala de pós-parto e uma outra destinada à vigilância pré e pós-parto, além de um bloco operatório.
O Hospital Municipal do Cuílo foi construído no quadro do Programa de Investimentos Públicos 2013, tendo como suporte financeiro a Linha de Crédito da China, num valor contratual avaliado em mais de cinco milhões de dólares.
Ernesto Muangala, que é médico, considerou que o hospital marca o ponto de partida do compromisso assumido pelas autoridades locais, voltado para a necessidade urgente da expansão e  ampliação da rede sanitária do município.
O governador provincial explicou que com a construção do hospital se pretende evitar a transferência de pacientes em estado grave para a vizinha província da Lunda Sul e para a República Democrática do Congo.
Ernesto Muangala disse  que as obras do Hospital Municipal do Cuílo obedeceram a todos os critérios padronizados pelo Ministério da Saúde, no sentido da sua modernização e humanização de serviços.
Devidamente apetrechado com equipamentos de diagnóstico de alta tecnologia, os serviços a nível do hospital são assegurados por técnicos nacionais e estrangeiros especializados.
Nos próximos dias, vão ser enviados para o Cuilo mais cinco médicos, anunciou o governador provincial.
O Governo Provincial, em coordenação com a Administração Municipal do Cuílo, pretende  com este investimento promover a qualidade de vida dos habitantes, que, no passado, enfrentaram inúmeras dificuldades para terem acesso à assistência médica.“Temos um hospital que permite aumentar a capacidade de internamento e tornar mais eficiente o atendimento e a assistência aos pacientes”, referiu o governador provincial.
As obras da unidade sanitária de referência do município do Cuílo foram realizadas    pela empresa Chinesa  Sinomachi. O edifício foi construído numa área de dois mil metros quadrados.
O hospital comporta igualmente três áreas de apoio hospitalar, como uma morgue com três gavetas de conservação, refeitório e área técnica, onde está implantado um grupo de gerador de 250 KVA.Compreende ainda uma estação de tratamento de água independente, com capacidade para 100 metros cúbicos, e uma área de incineração do lixo hospitalar.

Médicos e enfermeiros

Neste momento, segundo o director municipal da Saúde do Cuílo, Clemente Naweji, dois médicos, sendo um ginecologista e um pediatria, e nove enfermeiros asseguram a assistência clínica aos pacientes, numa primeira fase.
Para uma cobertura satisfatória, de acordo com a dimensão e os serviços existentes, Clemente Naweji avançou que são necessários oito médicos e 50 enfermeiros.Com o novo hospital, disse o responsável, a rede sanitária do município passa de cinco para seis unidades médicas.Quanto às enfermidades, o director municipal disse que a malária e as anemias severas continuam a ser as doenças mais frequentes no Cuílo.

Tempo

Multimédia