Províncias

Hospital do Mungo procura um médico

Justino Vitorino | Mungo

O hospital municipal do Mungo, no Huambo, precisa urgentemente de um médico, disse ontem ao Jornal de Angola o administrador daquela unidade de saúde, Domingos Joaquim.

O hospital municipal do Mungo, no Huambo, precisa urgentemente de um médico, disse ontem ao Jornal de Angola o administrador daquela unidade de saúde, Domingos Joaquim.
 O responsável do hospital, que falava à imprensa durante a visita do governador àquele município, disse que foram criadas condições para acomodação dos técnicos e pessoal especializado, para que prestem serviços de qualidade às populações.
 O hospital funciona com 124 trabalhadores, sendo 43 técnicos médios de saúde, 59 enfermeiros auxiliares, cinco técnicos de diagnóstico terapêutico e 17 para o apoio hospitalar.   Para dar cobertura à rede sanitária, o hospital precisa de 170 técnicos, entre médios, básicos, enfermeiros auxiliares e 23 postos de saúde.
 O município conta com seis infra-estruturas hospitalares, a unidade municipal, na sede, dois centros de saúde na comuna de Cambuengo e três postos nas aldeias de Cavili, Cayunbuca e Danasco.  As doenças mais frequentes são a malária, doenças diarreicas agudas, respiratórias agudas, infecções urinárias e parasitoses intestinais.     
 Domingos Jorge Joaquim disse que, durante o primeiro trimestre, o hospital atendeu 195 crianças com malária e, deste número, quinze resultaram em óbitos devido à chegada tardia dos doentes aos serviços hospitalares. No mesmo período, acrescentou, a unidade atendeu, em média, 60 a 70 doentes por dia, com patologias diversas, assistidos no banco de urgência, medicina, pediatria, ginecologia, cirurgia, puericultura, obstetrícia, maternidade e laboratório.
     
Milhares de candidatos aprovados na Educação
 
Mais de seis mil candidatos, aprovados no concurso público, vão ser admitidos, este ano, no sector do Ensino, na província do Huambo, para diminuir o défice de docentes no sector, afirmou ontem o director provincial da Educação, Felisberto Mona. 
O concurso público lançado para o sector do Ensino está na fase final e, de acordo com o responsável, foram já afixadas as listas provisórias. O responsável da Educação no Huambo afirmou que, este ano, concorreram perto de 104 mil candidatos para 6.100 vagas disponíveis. Deste número, segundo Felisberto Mona, cerca de quatro mil professores serão admitidos para o ensino primário, 1.500 para o primeiro ciclo e outros 600 para leccionarem no segundo ciclo.
O secretário-geral do Governo da Província do Huambo, Sérgio Raul, informou à imprensa que os professores que concorrem para o ensino primário vão auferir um salário de 51.744 kwanzas, como salário base, que será igual para todos os professores da mesma categoria. Os professores do segundo ciclo vão auferir 108.602 kwanzas como salário base.

Tempo

Multimédia