Províncias

Hospital precisa de mais dadores de sangue

O Hospital Central do Kwanza-Norte precisa de dadores voluntários de sangue para ultrapassar as dificuldades que enfrenta para manter as reservas deste produto. O apelo foi lançado pelo responsável do banco de hemoterapia, Moisés Kussevi.

O Hospital Central do Kwanza-Norte precisa de dadores voluntários de sangue para ultrapassar as dificuldades que enfrenta para manter as reservas deste produto. O apelo foi lançado pelo responsável do banco de hemoterapia, Moisés Kussevi.
As dificuldades são resultantes da falta de grupos de dadores de sangue a nível da província. Por este motivo há períodos em que o hospital fica sem reservas, disse Moisés Kussevi.
Para colmatar estas dificuldades, a unidade tem contado apenas com a solidariedade de grupos religiosos, destaque para as igrejas IEBA e Universal do Reino de Deus, que doaram sangue à instituição na semana passada. No entanto, mesmo recebendo estes grupos de dadores religiosos, Moisés Kussevi disse que boa parte do referido líquido tem sido descartada, após a realização de testes laboratoriais, por se considerar impróprio para transfusões. “Após a doação, o sangue é submetido a vários testes, nomeadamente de VIH-Sida, paludismo, sífilis, hepatites B e C e percebemos que alguns não podem ser usadas”, lamentou.
Moisés Kussevi revelou que em situações de emergência, perante as carências enfrentadas pelo hospital, a situação tem sido suprida pelos familiares dos pacientes ou através de apelos veiculados pelos meios de comunicação social, principalmente da emissora provincial da RNA.
IEBA responde ao apelo
Mais de 20 jovens da Igreja Evangélica Baptista em Angola (IEBA) participaram, sábado, em Ndalatando, de uma campanha de doação de sangue no Hospital Central do Kwanza-Norte, a fim de minimizar as dificuldades que o banco de sangue daquela unidade sanitária enfrenta.
O pastor da IEBA, André Garcia Bungo, explicou que a referida iniciativa é fruto dos constantes apelos do hospital para a necessidade do surgimento de dadores voluntários.
Aquele religioso disse esperar que o gesto dos fiéis da IEBA, provenientes de Luanda, contribua para despertar a sensibilidade da sociedade, sobretudo dos cristãos, sobre a necessidade da doação de sangue para salvar vidas humanas.
Aproveitando o ensejo, os fiéis da IEBA procederam a campanhas de evangelização junto dos pacientes ali internados. Doaram ainda roupa usada e bens alimentares aos reclusos encarcerados na unidade penitenciária da Comarca.

Tempo

Multimédia