Províncias

Abandono dos tratamentos preocupa técnicos de saúde

Adolfo Mundombe e Juliana Domingos |Huambo

O abandono do tratamento do cancro da mama por parte de muitas pacientes diagnosticadas com a doença está a preocupar os responsáveis do departamento de maternidade do Hospital Central do Huambo.

O abandono do tratamento do cancro da mama por parte de muitas pacientes diagnosticadas com a doença está a preocupar os responsáveis do departamento de maternidade do Hospital Central do Huambo.
Daniel Tadesse, responsável pelo referido departamento, afirma que boa parte das pacientes diagnosticadas com a doença estão a abandonar o tratamento antes da cura.
As mulheres que sofrem de cancro da mama têm, na etapa inicial da doença, probabilidades de se livrarem da enfermidade com o recurso ao tratamento cirúrgico, mas muitas preferem abandonar os serviços médicos para só regressarem quando a doença se agrava, lamentou.
O responsável garantiu que o hospital possui condições para tratar os casos de cancro da mama, tendo em conta que pode efectuar operações cirúrgicas, acompanhadas por tratamento cito-estático.
Ao continuarem a desistir do tratamento, as referidas mulheres podem colocar as suas vidas em perigo, tendo em conta os contornos que a doença toma quando não é tratada oportunamente.
 O chefe do departamento da maternidade adiantou que o cancro da mama afecta as mulheres com idade superior a 40 anos, na fase da menopausa. A doença evolui por etapas à medida que os sintomas aumentam, reproduzindo-se de maneira arrasadora. Apesar de muitas mulheres não estarem ainda acostumadas a frequentar as consultas de diagnóstico ou a recorrer ao auto-exame todos os dias, o Hospital Central do Huambo atende entre 30 e 40 pacientes para fazerem testes à mama.

Tempo

Multimédia