Províncias

Académicos falam sobre pecuária e redução da importação de carne

António Canepa | Huambo

Especialistas, académicos das faculdades de Medicina e Veterinária da Universidade José Eduardo dos Santos, em parceria com homólogos do Instituto de Investigação Veterinária (IIV) e da empresa Nutricampo, Pesquisa e Inovação, abordaram, na cidade do Huambo, as contribuições da pecuária na diversificação da economia do país.

Vista parcial da cidade do Huambo onde académicos traçam novas estratégias para aumentar os níveis de produção de carne no país
Fotografia: João Gomes

O evento, que se enquadra no debate em curso no país sobre a actual situação económica, caracterizada pela acentuada queda de recursos financeiros, devido à queda das receitas fiscais provenientes do petróleo, serviu para identificar os principais elementos de estrangulamento interno na cadeia de produção interna da pecuária e adoptar estratégias para o uso de melhores práticas que concorram para o sucesso produtivo.
Entre outros objectivos e conclusões do encontro, os seminaristas alertaram sobre a importância do uso das biotecnologias para se buscar produtividade, eficiência e sustentabilidade produtiva, ilustraram os principais constrangimentos que dificultam o desenvolvimento da pecuária no país (linhas de crédito específicas, tecnologias, formação e assistência técnica, posse de terras, etc.).
Os presentes chamaram ainda atenção sobre a importância de se instituir a obrigatoriedade de assistência médico-veterinária a nível de todas as explorações  pecuárias, do sector público ou privado, a necessidade de promover-se boas práticas de produção pecuária sustentáveis, que melhorem o desempenho económico, social e ambiental entre os produtores (maneio zootécnico, nutricional, produtivo e bem-estar animal).
O decano da Faculdade de Medicina Veterinária, Fernando Maia, referiu que, com a realização deste seminário, os especialistas pretendem também chamar atenção dos grandes e pequenos criadores de gado sobre a necessidade e a importância da assistência técnica nos seus currais. Fernando Maia sublinhou, igualmente, a necessidade do aumento da produção da carne consumida no país, revelando que os níveis actuais, na sua maioria feitos de forma extensiva, são manifestamente insuficientes para atender a grande procura interna e externa.
Dados fornecidos aos jornalistas estimam que, em 2014, o país importou 80 por cento de carne, equivalentes a 129.485 toneladas do produto.
Hoje, com a mudança do quadro, provocado pela escassez de recursos financeiros, os especialistas defendem uma maior operacionalização das alterações nos modelos e comportamentos produtivos actuais, para fazer face, de forma consistente, a um novo ciclo  que assegure um aumento de produção e produtividade interna de carne, através da adopção de práticas e técnicas científicas exequíveis que possam ser difundidas a nível das explorações pecuárias, orientadas para o mercado.
Dos temas abordados, destaque para os ligados aos “Principais constrangimentos da pecuária em Angola”, “Contribuições da agricultura familiar no aumento da produção interna”, “O impacto das biotecnologias no melhoramento genético animal” e o “Programa Huambo Gen”, ligado aos ensaios de transferência de embriões.
Foram ainda debatidos os seguintes temas:  “Produção pecuária, potencialidade e desafios”, ”Assistência médico-veterinária”, “Quadro zoo-sanitário no país”, “Financiamento à pecuária” e “Zootécnica”. O certame congregou os principais intervenientes no sector pecuário em Angola, entre pequenos criadores familiares, associações de criadores, representantes das empresas agro-pecuárias e de prestação de serviços, institutos públicos ligados à investigação e ao ensino veterinário e zootécnico, organizações não governamentais e convidados.
Em representação do governador da província, o vice-governador do Huambo para o Sector Técnico e Infra-estruturas, Francisco Calunga Quissanga, afirmou que a iniciativa representa uma oportunidade de reflexão dos métodos conjuntos, capazes de contrapor a difícil situação económica e financeira que o país atravessa, com vista a aumentar a produção e a produtividade interna em vários sectores.

Tempo

Multimédia