Províncias

Angop regista progressos no tratamento de notícias

Victória Quintas | Huambo


O delegado provincial do Huambo da Angop – Agência Angolana de Notícias, Joaquim Neves António, disse ao Jornal de Angola que a agência registou grandes progressos, tendo em conta que no passado as notícias eram emitidas através de telégrafos enquanto hoje isso é feito através de meios tecnológicos mais avançados.

A delegação da Angop no Huambo foi reabilitada e apetrechada com equipamentos modernos
Fotografia: Jornal de Angola

O delegado provincial do Huambo da Angop – Agência Angolana de Notícias, Joaquim Neves António, disse ao Jornal de Angola que a agência registou grandes progressos, tendo em conta que no passado as notícias eram emitidas através de telégrafos enquanto hoje isso é feito através de meios tecnológicos mais avançados.
Joaquim Neves, que falava a propósito do 35º aniversário da Angop, que amanhã se assinala, recordou que “a 30 de Outubro de 1975 fez-se o primeiro despacho por via telegráfica. Hoje falamos de portal e de informação via satélite, o que indica que estamos melhor. Aqui no Huambo não temos problemas de comunicação. Para além da Internet, para o envio dos textos, possuímos um telefone satélite que permite que façamos o nosso trabalho sem constrangimentos”, disse. 
O responsável da Angop no Hu­ambo revelou que a sua equipa, de cinco jornalistas, produz mensalmente 360 textos com ilustração fotográfica, o que há 35 anos era impossível. Considera que a província está bem servida em termos de divulgação da sua imagem no interior e exterior do país, e que a Angop continua a garantir o cumprimento dos programas do Governo relativamente às políticas informativas.     
Garantir a formação, tanto académica como profissional, dos quadros, consolidar as políticas de expansão da rede de subdelegações municipais equipadas, para que o cidadão tenha acesso mais directo e mais fácil à informação, são desafios da delegação da Agência de Notícias no Huambo, de acordo com o seu delegado provincial.
Os 19 funcionários, cinco dos quais jornalistas, para além dos correspondestes, distribuídos por nove municípios da província, suportam o leque de actividades da agência, que conta com uma subdelegação equipada com uma sala de pesquisa com 10 computadores ligados à Internet, no município da Caála. Além disso, está a ser criada uma subdelegação no município do Bailundo.
“Com objectivo de colher, tratar e distribuir, em regime exclusivo, tanto para Angola como para o estrangeiro, notícias com base numa informação objectiva, sobre a actualidade nacional e internacional, a Angop fornece directa ou indirectamente notícias aos órgãos de informação nacionais e estrangeiros, na base de compromissos assinados para o efeito”, disse Joaquim Neves.
Para saudar o 35º aniversário da Agência Angola Press, a delegação do Huambo promove uma conferência subordinada ao tema “A relação entre a lei da probidade pública e o interesse jornalístico”, na qual participam membros do executivo da província, magistrados, jornalistas e representante da sociedade civil.  

Tempo

Multimédia