Províncias

Anunciadas no Huambo novas medidas

Justino Vitorino| Huambo

O vice-governador do Huambo para o sector Económico e coordenador da Unidade Técnica Provincial de Combate à Pobreza (UTPCP) destacou a importância dos administradores municipais adoptarem e melhorarem a metodologia de combate à pobreza.

Programa Água para Todos continua a ser uma das prioridades das autoridades locais
Fotografia: Eduardo Pedro

Joaquim Rodrigues da Conceição, que falava na Primeira Sessão Ordinária da Unidade Técnica Provincial que serviu para balancear as acções realizadas em 2014, disse que com o encontro pretendeu-se criar novos mecanismos para a execução do Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e de Combate à Pobreza na província.
No encontro foi apresentado o relatório dos programas de combate à pobreza dos 11 municípios do Huambo.
O governante assegurou que o Governo Provincial está empenhado em melhorar a qualidade de vida das populações nas comunidades, dando primazia aos sectores da Educação, Saúde, Agricultura, Energia e Águas, Comércio, Indústria, bem como o acesso às vias de comunicação. 
Por isso, os administradores municipais foram municiados nesta matéria, para darem resposta aos objectivos dos programas do Executivo no quadro das acções já produzidas, relativamente ao combate à pobreza. A Primeira Sessão Ordinária da UTPCP analisou, entre outros pontos, o Balanço do Exercício Económico de 2014.

Município do Mungo


Centenas de cidadãos do município do Mungo, província do Huambo, aprenderam a ler e escrever durante o ano passado, no módulo I do método “ Sim, eu Posso”, informou ao Jornal de Angola o chefe de Repartição da Educação da circunscrição. Domingos Pascoal Calei disse que a Administração Municipal do Mungo vai continuar a apostar na erradicação do analfabetismo no seio da população daquela circunscrição e solicitou o contributo de todos no processo. O processo enquadra-se no programa estratégico de revitalização da alfabetização, gizado pelo Ministério da Educação, com apoio de parceiros, e considerou eficaz o método “Sim, eu posso”, por criar o gosto pela leitura e escrita. Desde o início da aplicação do programa de alfabetização em 2007, o município registou avanços significativos, com a introdução de novas metodologias participativas e interactivas de alfabetização.
O chefe de Repartição da Educação, Domingos Pascoal, informou que o Executivo, através do Ministério da Educação dá prioridade à alfabetização dos jovens e adultos.
O sector da Educação do município do Mungo tem 65 alfabetizadores, número considerado aquém das necessidades da região.

Tempo

Multimédia