Províncias

Apresentada "Receita da Felicidade"

Azevedo Faria | Huambo

A Direcção Provincial da Família e Promoção da Mulher e a UNICEF apresentaram no Huambo o projecto “Receita da Felicidade”, com vista a melhorar e fortalecer os mecanismos de resgate dos valores morais, cívicos e culturais.

A nível das famílias existem ainda problemas mas o Ministério da Família e Promoção da Mulher com os seus parceiros entende que por via destes projectos pode melhorar a situação
Fotografia: Jornal de Angola

O encontro decorreu sob o lema “Competências Familiares e Resgate dos Valores Morais, Cívicos e Culturais” e serviu para traçar as linhas mestras com base em técnicas e conselhos úteis para promover a convivência e harmonia no seio das famílias. O director nacional da política familiar do Ministério da Família e Promoção da Mulher, António João, considerou ser da competência familiar a divulgação do programa de resgate dos valores morais cívicos e culturais, promover a convivência harmoniosa com base nos valores universais e dos valores culturais da angolanidade.
O vice-governador da província para o sector político e social, Guilherme Tuluka, elogiou a iniciativa do Ministério da Família e Promoção da Mulher, considerando que se trata de um projecto que vai contribuir, de forma positiva, para a educação das famílias, adoptando comportamentos simples e facilmente aplicáveis a nível dos agregados familiares. Defendeu o papel que têm nas famílias na educação dos filhos  e na luta contra comportamentos negativos dos jovens como o consumo de álcool e a delinquência.   
O projecto está a ser executado em Cabinda, Zaire, Uige , Luanda, Huíla, Benguela, Bié. “A nível das famílias temos ainda problemas mas o ministério, com os seus parceiros, entende que por via deste projecto pode melhorar a situação”, disse.O pastor da Igreja Evangélica Congregacional de Angola, Tarcisio Tchokombongue, afirmou durante o encontro que as entidades religiosas vão fazer tudo “para passar a mensagem para o bem da nação e da sociedade”.
O soberano do Bailundo, Armindo Francisco Kalupeteka (rei Ekwikwi V) considerou positivo o encontro e apelou às autoridade governamentais para promoverem mais seminários do género. “Os valores morais e culturais foram perdidos durante a guerra, então urge a necessidade de resgatar esta cultura, porque é com ela que se identifica um povo”, disse Ekwikwi V.

Tempo

Multimédia