Províncias

Arredores do Huambo com mais tuberculose

Adolfo Mundombe | Huambo

O administrador do Hospital Sanatório do Huambo, Paulo Agostinho da Costa, disse ao Jornal de Angola que está preocupado com os elevados índices de tuberculose nos arredores da cidade. Os bairros de S. Pedro, Caquelewa, Calombrinco, Cacilhas, Fátima e Capango, são os que mais apresentam casos de tuberculose.

O administrador do Hospital Sanatório do Huambo, Paulo Agostinho da Costa, disse ao Jornal de Angola que está preocupado com os elevados índices de tuberculose nos arredores da cidade. Os bairros de S. Pedro, Caquelewa, Calombrinco, Cacilhas, Fátima e Capango, são os que mais apresentam casos de tuberculose.
Além destes casos, o Hospital Sanatório do Huambo atende também pacientes das vizinhas províncias de Benguela, Kwanza-Sul, Bié, Huila e Luanda. Paulo Agostinho disse que o governo reforçou a unidade com fármacos para diminuir os casos e leva a cabo campanhas de sensibilização junto das famílias para colaborar com as autoridades sanitárias: “muitos doentes desistem da medicação, chegam às suas casas e abandonam os remédios”.
O especialista aconselha os doentes que recebem alta a fazerem o tratamento ambulatório nas unidades próximas até completarem o tratamento que normalmente vai de seis meses a um ano ou mais. “Existe apoio do Programa de Saúde Pública que tem ajudado com meios humanos e transporte para a localização dos doentes que se encontram em tratamento ambulatório, para saber o seu estado e sensibilizar o paciente e os familiares para a importância da continuação do tratamento”, disse Paulo Agostinho Costa.

Tempo

Multimédia