Províncias

Aumenta a reserva de medicamentos

Marcelino Dumbo | Huambo

O ministro da Saúde, Luís Gomes Sambo, anunciou ontem, na cidade do Huambo, a chegada ao país de elevadas quantidades de medicamentos e material gastável, encomendados pelo Governo para suprir as dificuldades por que passam as unidades sanitárias.

Ministro assegura que o Governo continua empenhado no combate à febre-amarela
Fotografia: Francisco Lopes | Huambo

Luís Gomes Sambo, que se encontra em visita de trabalho à província do Huambo para avaliar o estado actual do sector, anunciou que o Executivo encomendou quantidades elevadas de medicamentos, com destaque para os de combate à malária e outras doenças que afectam as populações em todo o país.
Durante o encontro com os membros do governo local, chefes de repartições municipais da Saúde, directores de hospitais municipais, representantes da Ordem dos Médicos, enfermeiros e técnicos de diagnóstico e terapêutica, o ministro aconselhou ao saneamento básico, a hábitos alimentares saudáveis e à mudança de comportamentos para evitar epidemias como a febre-amarela, HIV/SIDA, tuberculose, hepatites e outras que têm a ver com o uso abusivo de bebidas alcoólicas e do tabagismo.
Quanto à epidemia da febre-amarela, o ministro sublinhou que o Executivo está empenhado na sua erradicação, bem como na criação de condições necessárias para a vacinação massiva das populações.
O titular do sector aconselhou também a intensificação de campanhas de sensibilização junto das comunidades para que as populações adiram em massa aos programas de vacina contra a febre-amarela.
“A vacina contra a febre-amarela protege para a vida inteira e nós temos constatado que muitos cidadãos, por convicções religiosas, recusam-se em aderir a estas campanhas”, lamentou o ministro, salientando que esta atitude constitui um atentado à saúde.
Questionado sobre a possibilidade de ingresso de novos profissionais, assim como sobre  promoções e actualização de categorias, o ministro explicou que estão em estudo na generalidade pelo Ministério da Saúde, mas a falta de verbas não permite que se faça qualquer pronunciamento que possa gerar falsas expectactivas. Só podem ser feitas novas admissões com verbas cabimentadas no Orçamento Geral do Estado (OGE).
O ministro Luís Gomes Sambo, que cumpre um vasto programa de trabalho à província, já visitou o edifício da Ordem dos Médicos, o departamento de inspecção, a cadeia de frio provincial, o hospital regional do Huambo, a Faculdade de Medicina, assim como procedeu à entrega de quatro ambulâncias à Direcção Provincial da Saúde (DPS).
Durante quatro dias, o programa reserva visitas aos hospitais municipais do Londuimbali, Caála, Katchiungo, assim como às obras de construção do novo centro de saúde localizado no bairro Kapango, arredores da cidade do Huambo.

Tempo

Multimédia