Províncias

Aumentam casos de malária

Justino Vitorino | Huambo

O município do Huambo registou no passado mês de Janeiro 79 óbitos, dos 230 casos de malária diagnosticados, informou, naquela cidade, a chefe de Repartição municipal da Saúde.

Defendido o aumento do orçamento dos programas de luta anti-larval e de pulverização
Fotografia: Arão Martins | Edições Novembro

Elsa Cassinela Coimbra, que falava na abertura do seminário de prevenção e métodos de combate à doença, disse que a situação preocupa as autoridades sanitárias da província, uma vez que, em comparação com o mesmo período do ano passado, notou-se haver um aumento significativo de mortes, que considerou em parte dever-se às constantes chuvas,  que se abatem sobre a região e ter havido também muita acumulação de lixo nas ruas e arredores das residências. Por seu turno, a administradora adjunta do município do Huambo, Deolinda Camarada, admitiu que existe um acréscimo significativo comparativamente aos anos anteriores, pelo facto de os orçamentos do programa de luta anti-larval, assim como da pulverização domiciliar terem sofrido uma redução devido à actual crise económica e financeira que o país vive.
A escassez de medicamentos em algumas unidades sanitárias da província, prosseguiu a dirigente, está também na base do aumento da malária, sublinhando que esta situação constitui um problema de saúde pública em Angola, em particular na província do Huambo.
Deolinda Camarada garantiu que a Direcção Provincial do Huambo da Saúde vai continuar a levar a cabo palestras e campanhas de sensibilização sobre o saneamento do meio, com vista a reduzir a prevalência da doença nas comunidades.

Tempo

Multimédia