Províncias

Aumento da produção é aposta na região

Adolfo Mundombe | Huambo

O presidente da União Nacional dos Camponeses de Angola (Unaca), no Huambo, disse ontem que a falta de fertilizantes químicos que se regista na província não impede a produção agrícola, daí ter incentivado os associados e particulares a apostarem também no uso dos adubos orgânicos.

Camponeses da província do Huambo exortados a usar a criatividade e maior esforço para enfrentarem a escassez de fertilizantes
Fotografia: Santos Pedro |

Fernandes Abraão reconheceu que, neste momento em que os adubos químicos escasseiam, os camponeses da região podem utilizar, como alternativa, adubos orgânicos para prosseguirem com as suas actividades agrícolas.
“Não nos esqueçamos de que no passado usávamos adubos, como os excrementos de gado bovino, galinhas e de estrumes feitos de matéria verde, como folhas, etc. Portanto,  produzíamos muitos alimentos, hoje notamos que os camponeses estão a produzir pouco devido ao elevado preço dos adubos químicos no mercado informal”, defendeu.
Na província do Huambo, a Unaca controla 932 associações de camponeses, 105.661 associados, destes 39.749 são mulheres. Também existem 143 cooperativas de produção agrícola com 41.504 filiados, dos quais 21.585 são do sexo feminino. O presidente da Unaca disse que o país se encontra numa situação que exige um redobrar de  esforços de todos, face às dificuldades económicas e financeiras. Por isso, acrescentou que há toda a necessidade de procurar-se alternativas, de modo a manter-se os  níveis de produção, enquanto o Executivo procura amenizar a crise com a tomada de medidas, que visam reduzir o preço dos fertilizantes químicos no mercado informal.
“É importante que o abastecimento técnico-material (ATM) funcione com rigor para o devido acompanhamento dos camponeses”, precisou, considerando aceitável a produção de alimentos este ano na província. Na visão de Abraão Fernandes, a produção em grande escala de adubos orgânicos constitui a principal estratégia para o relançamento da agricultura industrial no Huambo e a redução da importação de adubos químicos.
Comparativamente aos fertilizantes químicos, disse que o uso dos adubos orgânicos ajuda a manter a fertilidade dos solos e reduz a incidência de doenças nas plantas. O presidente local da Unaca deu a conhecer que, antes do início da próxima campanha agrícola, a agremiação vai trabalhar no levantamento do número de currais de animais existentes na província e auscultar as autoridades tradicionais e famílias camponesas sobre a quantidade de estercos produzidos diariamente em cada área.
Garantir a segurança alimentar e a produção em grande escala constam entre as  prioridades do Governo do Huambo, no quadro do Programa do Executivo de Luta contra a Fome e a Pobreza.

Tempo

Multimédia