Províncias

Autoridades criam condições para campanha de vacinação

António Canepa | Huambo

Mais de 50 mil doses de vacinas estão disponíveis e aguarda-se, nos próximos meses, pela chegada das restantes, para o arranque, ainda este ano, da campanha de vacinação contra a raiva a mais de 100 mil animais de estimação, entre cães, gatos e macacos, garantiu ontem o chefe de Departamento dos Serviços Veterinários na província do Huambo.

Jorge Almeida confirmou a disponibilidade, até o momento, de cerca de 50 mil doses de vacinas contra a raiva na província, aguardando-se pela chegada das restantes, para o arranque da campanha de imunização de milhares de animais de estimação.
O chefe dos Serviços Veterinários afirmou que a província não realiza campanhas de vacinação de animais de estimação há mais de dois anos, por falta de vacinas, situação que contribuiu para o aumento dos índices da doença de raiva, principalmente nos bairros suburbanos. O especialista disse que no ano passado o Huambo registou 600 mordeduras de cães contra pessoas, das quais 40 resultaram em óbitos, causados pela raiva. Por isso exorta os criadores a levarem os seus animais de estimação aos postos e locais escolhidos para a sua imunização.
Apesar de a situação da raiva estar controlada, de acordo com as autoridades provinciais ligadas à saúde dos animais, vários especialistas acusam os criadores de desleixo, por deixarem muitas vezes os seus animais soltos e a deambularem pelas ruas.
Consta que a maioria dos casos de mordeduras atendidos pelos serviços veterinários são de cães suspeitos de terem raiva, pelo que se recomenda a vacina para evitar contágios da doença. Para tratar casos de mordeduras que ocorrem aos finais de semana, os serviços veterinários têm recorrido aos centros e serviços municipais da saúde, onde os doentes são submetidos a análises clínicas, antes de receberem a vacina anti-rábica. Huambo tem um laboratório de diagnóstico contra a raiva.

Tempo

Multimédia