Províncias

Autoridades reabilitam a rede viária

Adolfo Mundombe | Bailundo

A Administração Municipal do Bailundo, vai reabilitar as vias secundárias e terciárias, principalmente as que ligam as ombalas às sedes comunais, para permitir a livre circulação de pessoas e bens e facilitar as trocas comerciais, disse a administradora-adjunta.

Os trabalhos na estrada que liga o Bailundo ao cruzamento de Cassongue estão em fase de conclusão podendo-se já circular na área
Fotografia: Jornal de Angola

Dolina Miguel informou que do programa de desenvolvimento do município para o próximo ano, consta a reabilitação  da via Bimbe-Bailundo, tendo já sido feito o levantamento das obras pelo Instituto Nacional de Estradas (INEA).
Os trabalhos no troço que liga o Bailundo ao cruzamento de Cassongue, na província do Kwanza-Sul, estão em fase de conclusão. Já é possível circular entre o Bailundo e Lunji.
A administradora-adjunta do Bailundo disse que nos próximos orçamentos a administração vai investir na arborização, principalmente nas comunas do Bimbe e Hengue, e investir na maior humanização do sector da Saúde.
No sector da Educação, Dolina Miguel disse que já foram construídas no município do Bailundo várias escolas comunitárias, permitindo a redução significativamente do número de crianças fora do sistema de ensino.
 “Pretendemos construir mais escolas no próximo ano e neste momento a nossa preocupação está relacionada com a fuga de professores, por não termos criado condições de acomodação.”
Durante o ano lectivo de 2013, cerca de quatro mil alunos beneficiaram do programa de merenda escolar nas sete escolas mais distantes da sede do município.
 Relativamente ao sector da Saúde, administradora-adjunta informou ser o que mais cresceu em função do orçamento que recebe dos serviços municipalizados. “Este ano foram reabilitadas diversas infra-estruturas na sede do município, além da construção de postos de Saúde na Jamba e Ganda.”
Paralelamente à construção de postos médicos, o sector da Saúde efectuou uma campanha de vacinações a crianças e mulheres grávidas e adquiriu medicamentos para o combate às doenças que mais afectam a região, com destaque para a malária, diarreias agudas, problemas respiratórios e parasitoses.

Produção alimentar

O município do Bailundo possui 58 associações de camponeses e nove cooperativas apoiadas pela administração municipallocal, por meio da subvenção dos fertilizantes. Para combate à fome e à pobreza, a administração municipal do Bailundo vai apoiar directamente 27.­250 famílias e assistir indirectamente 24.344 outras. A Mecanagro está a preparar cerca de 220 hectares e há particulares com tractores que estão a preparar uma extensão de 400 hectares para as culturas.
Muitas famílias camponesas, disse a administradora-adjunta do Bailundo, preferem preparar a suas terras, num total de 23.210 hectares, com tracção animal, por ser mais barato. Manualmente vão ser preparados 79.188 hectares e aos poucos as famílias camponesas vão aumentando as áreas de cultivo e melhorando as suas receitas económicas.  O município do Bailundo produz feijão, milho, mandioca, soja e hortícolas. Existe em cada comuna um técnico do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA) que ajuda os camponeses na avaliação dos solos e sua correcção. O escoamento de produtos agrícolas do campo para a cidade tem-se processado normalmente apesar de haver ainda locais com acesso difícil, caso das vias que ligam as ombalas às comunas.
O programa “Água para todos”, num valor de 40 milhões de kwanzas, está em fase de finalização com a construção de três novos sistema de captação e distribuição, encontrando-se outros treze em reabilitação.
A energia eléctrica continua ser uma dor de cabeça, disse a dministradora adjunto. “Os bairros da Boa Vista, Chitalela e Espírito Santo estão sem iluminação há já algumas semanas.” 

Tempo

Multimédia