Províncias

Cachiungo e Cambuio com ligações cortadas

Justino Vitorino | Cachiungo

A circulação rodoviária entre a vila do Cachiungo e Cambuio/ Upunda, na Chicala Cholohanga, Huambo, está cortada há alguns dias, em consequência do desabamento da ponte sobre o rio Chiundo, que separa os dois municípios.

Além do desabamento da ponte, de seis metros de comprimento, as chuvas destruíram também 36 habitações, uma igreja, algumas escolas e várias toneladas de batata r, preparada para a comercialização. O milho cultivado nas zonas baixas dos rios foi arrastado pelas águas.
O administrador adjunto do Cachiungo, Daniel Marques, afirmou que a situação está a preocupar as autoridades locais e solicitaram ajuda ao Governo Provincial para normalizar a vida na região leste do Huambo.   “O município do Cachiungo não tem instalados pára-raios suficientes e as autoridades estão a sensibilizar as populações para plantarem árvores conhecidas tradicionalmente como protectoras dos efeitos trágicos, provocadas por descargas eléctricas”, afirmou.
 Para estas situações, Daniel Marques pede às populações para não se  abrigarem perto dos cabos eléctricos, enquanto chove e sobretufdo quando há trovoada. Os adultos devem evitar que as crianças frequentem ou se aproximem das valas de drenagem, ou se abrigarem debaixo das árvores.
O chefe da Comunicação e Imagem dos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros, Abel Kangombe disse que as causas das mortes por descargas eléctricas é a existência de habitações nas zonas consideradas de grande risco, à beira dos rios e em terrenos inclinados. Os municípios mais atingidos são os do Bailundo, Mungo, Londuimbali, Ecunha, Cachiungo, Longonjo, Chinjenje e Chicala Cholohanga. A província do Huambo é susceptível de descargas eléctricas e outras ocorrências.

Tempo

Multimédia