Províncias

Calenga tem mais infra-estruturas sociais

Marcelino Dumbo | Calenga

A comuna da Calenga, antiga Vila Verde, no município da Caála, tem novas infra-estruturas sociais, reabilitadas e construídas no âmbito do programa do Governo de combate à pobreza.

As vias de acesso também estão a ser reabilitadas para facilitar a livre circulação e o escoamento de produtos do campo para a cidade
Fotografia: Jornal de Angola

A comuna da Calenga, antiga Vila Verde, no município da Caála, tem novas infra-estruturas sociais, reabilitadas e construídas no âmbito do programa do Governo de combate à pobreza.
Além de escolas, centros e postos de saúde, o programa abrangeu também a reabilitação das ruas e vias secundárias e terciárias. Mais um posto de saúde foi erguido na vila, que viu reabilitadas as vias que ligam a algumas ombalas e aldeias, antes intransitáveis.
Na comuna da Calenga, está localizado o principal mercado agro-pecuário da província. A reabilitação das vias secundárias e terciárias está a facilitar a vida dos camponeses e comerciantes, que têm aquela localidade principal fonte de abastecimento de produtos.
Calega fornece produtos agro-pecuários aos consumidores do Huambo, Luanda, Lubango, Benguela e Bié.
O administrador comunal, Lutonádio Samuel Ntima, disse ao Jornal de Angola que, no ano passado, a comuna da Calenga registou também avanços significativos no sector agrícola e do comércio, com a criação de pequenas lojas nas zonas rurais.
No sector da saúde, além da construção de postos de atendimento, foram erguidas também residências para os técnicos, nas aldeias Cassupi II, Capundje, e Suku Ondjali, para diminuir as dificuldades das populações, que antes percorriam longas distâncias à procura desses serviços. Um centro de referência, com capacidade de internar vinte pacientes, foi todo equipado para atender as especialidades de pediatria, maternidade, puericultura, obstetrícia e medicina.
 O novo centro de saúde possui também laboratório de análises clínicas e farmácia.
O administrador Lutonádio Samuel Ntima anunciou, para o presente ano, a melhoria de outras vias de acesso, com serviços de terraplanagem nas localidades de Suku Ondjali, Kassupi II e Kapunje.
“Com estes serviços próximos das comunidades, registamos a diminuição de doenças e o índice de mortes hospitalares por malária caiu de modo considerável”, disse o administrador.

“Água para todos”

No quadro do projecto do governo “Água Para Todos”, em parceria com a ONG “Visão Mundial”, foram abertos dois furos de água em cada uma das 52 aldeias da comuna da Calenga, que abastecem mais de cinco mil habitantes, disse o administrador.
As autoridades locais, em parceria com as ONG, têm levado a cabo campanhas de sensibilização nas comunidades sobre o tratamento da água das cacimbas, a construção de latrinas e os cuidados e perigos que derivam da falta de higiene.
As doenças respiratórias e diarreicas agudas, parasitoses intestinais, hipertensão e paludismo são as mais frequentes na comuna.  Mais de 12 mil alunos frequentam a escola, nos diferentes níveis, neste ano lectivo, e pelo menos 522 alunos beneficiam de merenda escolar.

Rede escolar

 A rede escolar funciona com 307 professores e 141 salas, sendo 33 de construção definitiva.
A comuna precisa de uma escola do II ciclo, para que os alunos que terminam a 9ª  classe possam continuar os seus estudos, evitando deslocações para a sede do município, a vila da Caála. O administrador referiu que Calenga precisa de mais professores e salas de carácter definitivo, tendo em conta o crescente número de alunos em cada ano. Lutonádio Ntima disse que todos os alunos receberam material escolar gratuito, distribuído pela direcção provincial da Educação.
 
Produção agrícola

Mais de dez mil hectares de terra foram cultivados na presente campanha agrícola. Muitos camponeses e agricultores beneficiaram de crédito agrícola, financiado pelo Banco de Poupança e Crédito e Banco Sol.  A comuna tem uma população animal acima dos 36 mil, sendo 20 mil caprinos e 16 mil bovinos. Os agricultores estão organizados em 51 associações e quatro cooperativas agrícolas.
Cebola, repolho, cenoura, alho, tomate, pimento e bata rena, num total de 150 mil toneladas, foram produzidos durante a campanha agrícola passada, disse o administrador local, que solicitou a montagem de câmaras frigoríficas para a conservação dos produtos.
Calenga, segundo o administrador, tem 389.23 quilómetros quadrados, com uma população estimada em 32.681 habitantes, distribuídos em 52 aldeias. 

Tempo

Multimédia