Províncias

Camada de ozono é tema de palestra

Cento e 50 estudantes do curso de Geografia e História do Instituto Médio de Formação de Professores “Ferraz Bomboco”, na cidade do Huambo, participaram ontem numa palestra sobre a preservação da camada de ozono, no âmbito das comemorações do dia 17 de Setembro.

Cento e 50 estudantes do curso de Geografia e História do Instituto Médio de Formação de Professores “Ferraz Bomboco”, na cidade do Huambo, participaram ontem numa palestra sobre a preservação da camada de ozono, no âmbito das comemorações do dia 17 de Setembro.
A palestra, orientada pelo ponto focal da Convenção de Viena e do Protocolo de Montreal, António Francisco Matias, foi uma promoção do Ministério do Ambiente, através da Unidade Nacional do Ozono. O palestrante, António Francisco Matias, definiu o conceito de Ozono (O3) e esclareceu que o mesmo é um composto químico com efeitos prejudiciais para os seres vivos, quando se encontra junto à superfície terrestre: provoca irritações nos olhos e no aparelho respiratório. É o componente principal do nevoeiro fotoquímico e actua como gás com efeito de estufa.
Explicou que o 16 de Setembro foi instituído pela Assembleia-Geral das Nações Unidas, através de uma resolução (49/114) de 1994, para comemorar o dia da assinatura, em 1987, do Protocolo de Montreal sobre Substâncias que Prejudicam a Camada de Ozono.
Recomendou às donas de casa que “não raspem o congelador dos frigoríficos domésticos, porque o esforço que se faz com faca ou outro instrumento pode furar o tubo onde passa o fluido refrigerante e do furo a geleira poderá emitir gás prejudicial à camada de Ozono”.
Por outro lado, manifestou preocupação face ao elevado índice de queimadas que a província regista, tendo apelado aos estudantes a se organizarem em grupos de sensibilização.

Tempo

Multimédia