Províncias

Campanha contra o sarampo com verbas

Mário Clemente| Huambo

A verba para o arranque da campanha de vacinação contra o sarampo, poliomielite e administração da vitamina A, no Huambo, está garantida, depois do Governo Provincial ter disponibilizado 99 milhões de kwanzas.

Autoridades provinciais do Huambo garantem todas as condições para o arranque da campanha no próximo mês de Setembro
Fotografia: Francisco Lopes| Huambo

O director provincial da Saúde, Frederico Juliana, disse ontem que o governo já tem as verbas para a vacinação de 1.740.159 crianças dos seis aos dez anos.
A campanha, a decorrer de 22 de Setembro a 5 de Outubro, vai envolver 1.334 técnicos de saúde, 1.571 voluntários comunitários, 153 coordenadores e 436 supervisores de área, totalizando uma força de trabalho de 3.494 pessoas.
Frederico Juliana referiu que de 2010 a 2013, os casos de sarampo aumentaram de 2.065 para 5.665. “O sarampo é a única doença muito grave que Angola regista actualmente e, infelizmente, muitas crianças no Huambo nunca foram vacinadas contra esta enfermidade”, lamentou o director da Saúde.
O vice-governador para a área Técnica e Infra-estruturas, Francisco Calunga Quissanga, disse que o Governo Provincial continua a fazer esforços para garantir os serviços sanitários e erradicar algumas doenças que afectam as crianças, com destaque para o sarampo, poliomielite e outras.
As complicações do sarampo, encefalite, hepatite são as piores causas de morte nas crianças, por isso, a campanha de vacinação contra o sarampo é uma estratégia comprovadamente eficaz.
No Huambo, a campanha realiza-se sob o lema “Juntos pela eliminação do sarampo e a poliomielite”, com o objectivo de reduzir o número de doentes e de óbitos, tendo como meta vacinar crianças em todos os municípios, ombalas e aldeias da província.
O supervisor provincial de vacinas do Huambo, Isaac Kassanje, disse que do universo de crianças a imunizar, 592.628 vão ser vacinadas contra o sarampo, 348.033 contra a poliomielite e 330.631 outras recebem suplementos de vitamina A. A campanha decorre em duas fases, uma urbana, que se realiza nas escolas, creches, locais de maior concentração populacional e unidades sanitárias, enquanto a segunda é em zonas rurais.
As autoridades sanitárias têm uma cadeia de frio provincial para a redistribuição aos municípios, totalizando 141 postos fixos de vacinação. O administrador municipal do do Huambo, Sérgio Raul, disse que, além da preparação da campanha de vacinação contra o sarampo, as autoridades abordaram a situação do ébola.
Quanto a esta doença, o administrador referiu que as autoridades tomaram nota, tendo garantido que vão ser tomadas medidas para impedir a propagação da doença na província, daí o papel das autoridades tradicionais na passagem de mensagens às populações nas zonas rurais.

Tempo

Multimédia