Províncias

Casos de agressões físicas aumentam na província

Justino Vitorino| Huambo

O Banco de Urgência do Hospital Geral do Huambo atende em média diária quatro a cinco casos de mulheres grávidas vítimas de agressão física, informou terça-feira o chefe dos serviços de urgência da maior unidade hospitalar da província.

Uso excessivo de bebidas alcoólicas é apontado como a principal causa de violência
Fotografia: José Soares

Carlos Andrade disse que a maioria dos casos, muitos dos quais terminam em abortos, é de mulheres espancadas pelos maridos. Apontou como principais causas o uso excessivo de bebidas alcoólicas, frustração, pobreza e falta de harmonia no lar.
Os casos de violência contra as mulheres grávidas, que dão entrada no banco de urgência, são de imediato encaminhados às autoridades policiais. O Hospital Geral do Huambo tem registado também a entrada de casos de violações sexuais de menores e mulheres adultas. Um dos casos mais recentes envolveu um adulto, tio da vítima, com uma criança, aparentemente de três anos.
Os órgãos judiciais da província têm envidado esforços no sentido de banir estes casos, em parceria com a Direcção Provincial da Família e Promoção da Mulher e o Instituto Nacional da Criança (INAC). Nos últimos tempos, a direcção do hospital tem denunciado casos de motoqueiros, vulgo “kupapatas”, que transportam passageiras e violam-nas fora das localidades.
A responsável da política da família da Direcção Provincial da Promoção da Mulher, Ágata Vitumbo, disse que o centro de aconselhamento tem realizado palestras de sensibilização sobre a luta contra a violência no género.

Tempo

Multimédia