Províncias

Casos de violência no lar aumentaram no Huambo

Tatiana Marta| Huambo

A directora provincial da Família e Promoção da Mulher anunciou, na cidade do Huambo, que os casos de violência doméstica na província aumentaram no primeiro trimestre deste ano.

A directora provincial da Família e Promoção da Mulher anunciou, na cidade do Huambo, que os casos de violência doméstica na província aumentaram no primeiro trimestre deste ano.
Maria do Rosário, que apresentava o balanço das actividades da jornada “Março Mulher” no Huambo, disse que, no primeiro trimestre, foram registados 275 casos de violência doméstica.
Entre os casos notificados, afirmou, estão queixas de abandono de lar, expulsões de casa, agressões físicas, adultérios, acusações de feitiçaria e incumprimento do subsídio de alimentação.
Dos 275 casos registados no primeiro trimestre, 195 foram resolvidos pela direcção, 25 encaminhados para o piquete da Polícia Nacional, dez para o tribunal provincial e 45 estão em estudo.
Maria do Rosário mencionou o consumo excessivo de bebidas alcoólicas como a principal causa dos casos de violência doméstica na província e disse que a direcção da Família tem realizado palestras em unidades policiais e militares, escolas e igrejas.
Maria do Rosário considerou positivo o balanço das actividades de Março e prometeu que a direcção provincial vai intensificar as campanhas de sensibilização.
A directora da Família e Promoção da Mulher agradeceu o gesto das jornalistas e apelou às de outros órgãos e à sociedade civil para que sejam também solidárias com as mulheres reclusas. 
Preocupadas com o elevado índice de casos de violência doméstica, as autoridades angolanas aprovaram uma  lei que vai punir, severamente, quem cometer violência doméstica contra a sua parceira ou parceiro. O crime é público.

Tempo

Multimédia