Províncias

Centro de investigação sobre energias renováveis

Victória Quintas |Huambo

O Ministério da Energia pretende criar um centro de investigação e tecnologia sobre energias renováveis, na província do Huambo. A informação foi apurada recentemente aquando da realização do workshop sobre as energias renováveis.

O Ministério da Energia pretende criar um centro de investigação e tecnologia sobre energias renováveis, na província do Huambo. A informação foi apurada recentemente aquando da realização do workshop sobre as energias renováveis.
Para dissertar sobre o tema, no planalto central, o Ministério da Energia convidou o professor Luís Fernédez, um perito americano. Esta acção é resultado da visita que a Secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, efectuou ao país, em Agosto do ano passado.
Aproveitando a visita da dirigente americana, o Governo angolano tinha solicitado o apoio dos Estados Unidos para a criação de um centro de pesquisas sobre energias renováveis, bem como formar quadros neste domínio.
O representante do Ministério da Energia, engenheiro Lando João, disse que o que se pretende é criar um centro de investigação e tecnologia sobre as energias renováveis e um mapa eólico e solar para se ter conhecimento do potencial de Angola.
O objectivo é igualmente fazer uma aposta na formação dos quadros angolanos sobre as energias renováveis. “Estes são os primeiros passos que se dão neste sentido”, disse o responsável.
O director provincial da Energia e Águas do Huambo, o engenheiro Adolfo Elias, disse que o objectivo do encontro é tomar contacto e analisar, em conjunto, as vantagens das diferentes tecnologias de geração de energia eléctrica, a partir de fontes renováveis baratas e limpas, no intuito de serem implementadas na nossa região, fundamentalmente em áreas isoladas e não conectadas à rede geral de energia eléctrica.
Adolfo Elias disse que os indicadores da demanda e necessidades de energia eléctrica são crescentes e as reservas de combustível de origem fóssil, como o petróleo ou carvão mineral, se esgotam, para além dos efeitos prejudiciais que estes têm provocado ao meio ambiente. “Assim, as inovações e implementação de programas ligados a energias renováveis são garantias do futuro e devem ser apoiadas, promovidas e encorajadas por todos os governos e estados,” disse.
Revelou que o Governo angolano e o Huambo, em particular, no quadro da sua política e estratégia de implementação de programas de electrificação, apoiam, sem reservas, iniciativas do género e têm dado sinais positivos neste sentido, cooperando com países que desenvolvem tecnologia nesta matéria.
O responsável disse que o objectivo é o de potenciar as suas capacidades energéticas, reduzir os custos operacionais com sistemas térmicos e garantir o desenvolvimento sócio económico de forma sustentável, pois que a energia renovável é aquela proveniente de recursos naturais renováveis, como energia eólica (ventos), solar (sol), mareomotriz (ondas dos mares e oceanos).

Tempo

Multimédia