Províncias

Centro de Protecção à Criança concluiu o internato dos órfãos

Estácio Camassete| Huambo

A cidade do Huambo tem, no final deste mês, o maior Centro Regional de Desenvolvimento e Protecção Integral da Criança da região, garantiu ontem o director da obra Cláudio de Jesus.

O centro tem capacidade para alojar mais de mil crianças órfãs e desamparadas do Huambo e das províncias limítrofes
Fotografia: Francisco Lopes| Huambo

A cidade do Huambo tem, no final deste mês, o maior Centro Regional de Desenvolvimento e Protecção Integral da Criança da região, garantiu ontem o director da obra Cláudio de Jesus.
O empreendimento, que custou aos cofres do Estado 32 milhões dólares, tem capacidade para alojar 1200 crianças órfãs e desamparadas de ambos os sexos das províncias do Huambo, Bié e Kuando-Kubango, em regime de internato e externato.
Construído numa área de 250.000 metros quadrados, no bairro Cambiote, o centro tem como objecto social a educação e protecção da criança e a oferta de serviços básicos às populações vizinhas da área.
O complexo tem quatro grandes edifícios, distribuídos em blocos. Segundo Cláudio de Jesus, o primeiro edifício vai alojar os serviços administrativos e a biblioteca, o segundo é constituído por salas de aulas e oficinas e o terceiro tem os dormitórios, num total de 40, com os balneários. O último bloco é o refeitório e o pavilhão gimnodesportivo. No envolvimento do edifício está a ser construído um campo de futebol com pista de atletismo.
No Centro de Protecção à Crianças 40 professores dão aulas de todos os anos  até ao segundo ciclo. O projecto contempla ainda uma componente de formação profissional, com cursos de administração pública e comércio, agricultura, gestão agrícola, construção civil, carpintaria, informática, hotelaria, turismo e indústria têxtil, para permitir a inserção dos alunos na vida activa.
Para as crianças e adolescentes deficientes, há oito quartos com rampas que vão permitir o acesso aos diversos compartimentos do complexo e salas de aulas de ensino especial.
Consta no projecto o aproveitamento da bacia do rio Kulimahala, para os alunos desenvolverem actividades agrícolas.
As obras começaram em Agosto de 2008 e a sua conclusão está prevista para o final deste mês. Apesar de um ligeiro atraso, a empreiteira Somague vai cumprir os prazos. Os trabalhos decorrem a bom ritmo. As paredes estão acabadas, os arruamentos e vias de acesso estão a ser asfaltados e já foram definidas as zonas verdes que vão circundar o centro.
O centro tem dois grupos geradores de 320 KVA cada e um posto de transformação. O complexo vai ser alimentado por um tanque com a capacidade de 600 metros cúbicos, no qual estão a ser montados dispositivos para combate ao incêndio.
Valéria Katombela, moradora no bairro do Cambiote, reconheceu que o centro vai contribuir para o desenvolvimento das zonas adjacentes e permite retirar das ruas da cidade do Huambo muitas crianças abandonadas. Lucas Mateus, de 12 anos, vive na rua com amigos nos escombros de um prédio, há mais de um ano. Ele desconhece a construção do centro de acolhimento de crianças, mas manifestou o desejo de viver no local quando estiverem concluídas as obras.
O Centro Regional de Desenvolvimento e Protecção Integral da Criança é uma instituição pública, de carácter social, destinado ao acolhimento, protecção, ensino e formação de crianças desamparadas das províncias do Huambo, Bié e Kuando-Kubango.

Tempo

Multimédia