Províncias

Centros psiquiátricos do Huambo e da Caála começam a funcionar já a partir de Outubro

Justino Vitorino| Huambo

O director provincial da Saúde do Huambo, Frederico Juliana, disse ao Jornal de Angola que, a partir de Outubro próximo, as cidades do Huambo e da Caála terão ao seu dispor unidades hospitalares psiquiátricas.
 

Vista parcial da cidade do Huambo onde os pacientes com problemas psíquicos vão deixar de se deslocar a outras áreas para tratamento
Fotografia: Santos Pedro

O director provincial da Saúde do Huambo, Frederico Juliana, disse ao Jornal de Angola que, a partir de Outubro próximo, as cidades do Huambo e da Caála terão ao seu dispor unidades hospitalares psiquiátricas.
Com a conclusão das referidas unidades hospitalares, o director provincial da Saúde entende estarem criadas as condições para a prestação de serviços condignos aos cidadãos que necessitarem de assistência médica na especialidade de psiquiatria, já que anteriormente eram obrigados a deslocar-se a Luanda ou Benguela para obterem cuidados médicos.
“Prevemos em Outubro do ano em curso proceder à inauguração do hospital psiquiátrico do Huambo e do hospital municipal da Caála, que terá uma área para prestar serviços de consulta de psiquiatria, cujas obras decorrem dentro dos prazos”, afirmou Frederico Juliana. Para o director provincial, a restituição dos serviços de saúde psiquiátricos constitui uma mais-valia para a região do Planalto Central, já que há muito eram prestados de forma deficitária.
Por outro lado, Frederico Juliana fez saber que a recuperação, ampliação e modernização do hospital municipal da Caála vai permitir, num futuro próximo, dar resposta a outros serviços clínicos que a região carece, designadamente no aspecto materno-infantil.  Segundo ele, está ainda programada para breve a construção de unidades sanitárias nos municípios do Tchindjendje e da Ekunha, muito afectados em matéria de saúde infantil.
“No âmbito do alargamento da rede sanitária, o sector da saúde na província prevê a construção de dois hospitais, sendo um no município da Ekunha e outro no Tchindjendje. Para o município do Huambo está programada a construção de um hospital pediátrico, que terá como missão atender todos os pacientes da região sul”, garante.
O futuro hospital pediátrico do Huambo, segundo Frederico Juliana, está avaliado em cerca de dois bilhões de kwanzas, ao passo que o hospital materno-infantil está orçado em três bilhões de kwanzas.
A recuperação e ampliação da unidade hospitalar do município da Caála está avaliada em cerca 150 milhões de kwanzas.
As obras dos hospitais a serem erguidos nas sedes municipais da Ekunha e do Tchindjendje vão custar aos cofres do Estado, por unidade, aproximadamente 300 milhões de kwanzas.

Tempo

Multimédia