Províncias

Chicala Choloanga pode ficar isolada das comunas

Justino Vitorino | Samboto

A vila de Chicala Choloanga pode, nos próximos tempos, ficar separada das comunas de Sambo e Samboto, dado o estado avançado de degradação em que se encontra a estrada principal, que liga a vila sede do município às referidas localidades.

A má condição da via torna quase impossível a circulação sendo as motorizadas os únicos meios com facilidade de transitar
Fotografia: Alfredo Kutabiala | Samboto

O administrador da comuna do Samboto, Tiago Canganjo, disse que, em função do estado da estrada, é necessário que as autoridades façam uma intervenção urgente, para que se evitem as dificuldades na circulação, principalmente nesta época chuvosa, em que aumentam os buracos, lamas e ravinas.
Dada a degradação bastante acentuada no troço, com cerca de 142 quilómetros, a circulação de viaturas é quase impossível, sendo as motorizadas os únicos meios rolantes com facilidade de transitar ali. Em função da procura, os motoqueiros passaram a cobrar preços exorbitantes aos utentes dos seus serviços, por alegarem grandes sacrifícios para circularem por aquelas bandas.
O administrador comunal afirmou que a estrada nunca sofreu qualquer obra de restauro, daí que a cada ano que passa, com as fortes chuvas que se fazem sentir na localidade, o troço vai se danificando ainda mais.
Neste momento, tudo na comuna escasseia e as populações estão com muitas dificuldades para adquirir bens, principalmente os de primeira necessidade.Tiago Canganjo sublinhou que o mau estado da via tem criado muitos entraves ao crescimento socioeconómico da localidade e a impedir o escoamento dos produtos agrícolas para os principais mercados da província.
Garantiu que o Governo Provincial do Huambo, dentro das suas preocupações, já traçou directrizes com vista a recuperação da via.Enquanto isso, o administrador lamenta o facto de a estrada nem sequer beneficiar de obras paliativas, para minimizar o sofrimento da população, que é considerada uma das maiores produtoras de bens do campo a nível do município de Chicala Choloanga.
“Temos muitos produtos a se estragar nas zonas rurais, por falta de transporte para o seu escoamento à sede municipal”, adianta o administrador comunal.
Apesar das dificuldades, associada à irregularidade de chuvas, o responsável comunal assegura que os agricultores obtiveram uma boa colheita de milho, feijão, soja e outros produtos da região durante a passada campanha agrícola.

Alguns Avanços

A estrada, que liga a sede municipal às comunas do Sambo e Samboto, foi durante muitos anos utilizada também para se atingir as províncias da Huíla e do Cunene, permitindo o acesso à fronteira com a República da Namíbia. O administrador comunal do Samboto afirmou que, apesar da região deparar-se com estes problemas das vias de comunicação mostra também alguns sinais de crescimento, principalmente no sector da Educação e da Agricultura.
Tiago Canganjo salientou que, além de falta de serviços sociais básicos, a vila precisa também de mais escolas e professores, já que conta apenas com uma escola do primeiro ciclo do ensino primário, com seis salas de aulas, para albergar 40 alunos em cada uma delas.
O administrador sublinhou que a instituição controla mais de 100 alunos, que estariam a frequentar localmente o segundo ciclo do ensino secundário, mas, por falta de escolas, muitos são obrigados a percorrer longas distâncias da sede comunal à vila da Chicala-Choloanga.
Este ano, o sector da Educação matriculou mais de cinco mil alunos do ensino primário e no primeiro ciclo do ensino secundário, com aulas asseguradas por 80 professores, distribuídos nas aldeias de Calembe, Calweio e Nhame.
A comuna do Samboto precisa de mais docentes para o ensino primário, no sentido de cobrirem as lacunas a nível das ombalas e aldeias distantes da vila, onde existem apenas 30 alfabetizadores remunerados, enquanto outros são voluntários, que contribuem na transmissão de conhecimentos, através dos módulos I e IV do método “Sim eu posso”.

Tempo

Multimédia