Províncias

Chipipa regista progressos na área social

Justino Vitorino | Chipipa

 A comuna da Chipipa, no município do Huambo, está a conhecer grandes progressos no sector social. O administrador comunal, Ribeiro Luís Longuia, disse ao Jornal de Angola que aos poucos a comuna está a ultrapassar as dificuldades provocadas pela guerra e a trilhar uma via de crescimento económico e social sustentado.

A comuna da Chipipa está a ultrapassar as dificuldades provocadas pela guerra e a trilhar uma via de crescimento económico e social
Fotografia: Francisco Lopes

 A comuna da Chipipa, no município do Huambo, está a conhecer grandes progressos no sector social. O administrador comunal, Ribeiro Luís Longuia, disse ao Jornal de Angola que aos poucos a comuna está a ultrapassar as dificuldades provocadas pela guerra e a trilhar uma via de crescimento económico e social sustentado.
Luís Longuia disse que, a par da reabilitação e construção de infra-estruturas económicas, que estão a proporcionar uma vida melhor aos habitantes, a educação é o sector que mais tem crescido nos últimos tempos.
Este ano, 121 novos professores foram colocados na comuna, através de um concurso público nacional, e já trabalham desde o mês passado, facto que deixa as autoridades satisfeitas, porque foi reduzido o défice que se registava no sector.
“Os 121 professores, recentemente admitidos, juntam-se aos 199 que existiam na comuna. Por isso, estamos seguros de que vamos reduzir o número de crianças que ainda se encontra fora do sistema normal de ensino”, disse o administrador.
Luís Longuia informou que estão matriculados este ano lectivo 7.263 alunos da iniciação à 12ª classe, enquanto 4.045 crianças se encontram fora do sistema de ensino, devido ao reduzido número de infra-estruturas escolares.
O Jornal de Angola apurou que na comuna da Chipipa, o sector da Educação é constituído por 37 escolas, em pleno funcionamento, num total de 81 salas de aulas.
Luís Longuia disse que existem projectos de construção de casas para os novos professores e para construir mais 19 escolas, para cobrir algumas aldeias e ombalas.
                          
 Assistência médica
      
Para a população da comuna, estimada em 37.389 habitantes, a assistência médica e medicamentosa está garantida. O sector é servido pelo Hospital Central do Huambo, apoiado por dois centros médicos, um na sede e outro na povoação da Betânia, e por seis postos de saúde nas aldeias de Dondo, Canguili, Mande, Cachaça, Atuco e Sacalengue. Tem 79 técnicos, entre enfermeiros básicos, gerais e pessoal de apoio, além de administrativos, mas precisa de mais 30 funcionários.
Como resultado do último concurso público de ingresso de novos quadros, a comuna da Chipipa recebeu oito novos enfermeiros.
As patologias mais frequentes, segundo Luís Longuia, são a malária, doenças respiratórias agudas e diarreias. “Quase todas as unidades existentes na comuna recebem mensalmente medicamentos essenciais, o que tem vindo a reduzir substancialmente os índices de mortalidade materno infantil”, revelou o administrador Longuia.
A falta de médicos especializados e de uma ambulância para evacuação de doentes em situação grave, foram apontadas como as principais dificuldades na Chipipa.
Existem também projectos para a ampliação do sector da saúde para outras localidades. Estão em curso a ampliação do centro médico da povoação da Betânia e a construção de seis postos de saúde nas aldeias de Muenessi, Maiaia, Tchikaka, Tchitiquingui e outro na aldeia de Lombunda.

Energia e água
 
A comuna da Chipipa tem cinco grupos geradores, de 160 KVA, estando dois na sede comunal em pleno funcionamento e três avariados. A comuna conta igualmente com iluminação pública e 72 casas beneficiam de energia da rede.
Quanto ao fornecimento de água potável às populações, está em curso a reabilitação do canal hidráulico. Enquanto decorrem as obras, o administrador da comuna da Chipipa disse que a população recebe água potável a partir de poços. Acrescentou que existem na comuna 46 poços, 29 dos quais estão em pleno funcionamento.
 
Agricultura e comércio
 
A agricultura constitui a base da actividade da população da comuna da Chipipa. Nas últimas colheitas, o saldo foi positivo, com a produção de centenas de toneladas de milho, batata, feijão, mandioca, soja e hortícolas. A pecuária regista igualmente um grande desenvolvimento, com a criação de animais de pequeno e grande porte.
Existem na comuna 59 fazendas, das quais 39 estão em pleno funcionamento e muitas beneficiam do apoio do Governo Provincial do Huambo, para aumentarem as áreas de cultivo, procurando atingir a segurança alimentar.
O sector do comércio também está a merecer uma atenção especial por parte das autoridades comunais. Estão a funcionar 22 lojas que fornecem produtos e bens de primeira necessidade aos habitantes da Chipipa. A indústria está também em desenvolvimento, embora com alguma morosidade.
Luís Longuia afirmou que no âmbito do programa de reconstrução nacional, estão em curso a reabilitação da fábrica de engarrafamento de água mineral, da cerâmica e a fábrica de medicamentos da Trapa, que vão aumentar a oferta de emprego para os jovens e melhorar os serviços sociais básicos na Chipipa.
A reportagem do Jornal de Angola percorreu também a área onde estão a ser loteados sete hectares para posterior distribuição dos lotes aos cidadãos que pretendem aderir à auto-construção dirigida, no âmbito do Programa do Executivo de construção de um milhão de casas até 2012.
A reabilitação das vias terciárias, construção de pontes, construção de casas para funcionários públicos na sede comunal, são outras das prioridades da administração da Chipipa.

Tempo

Multimédia