Províncias

Chuvas torrenciais provocam mortes

Estácio Camassete| Huambo

As chuvas que caíram de 1 de Setembro a 20 de Outubro do corrente ano, acompanhadas por descargas eléctricas e fortes ventos, provocaram, na província do Huambo, 19 mortes e ferimento a 31 pessoas, informou ontem o porta-voz dos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros, Francisco Muhepa, que balanceava as ocorrências registadas em quase dois meses de chuva na província.

Fotografia: JAImagens

No período em referência, as chuvas destruíram 270 residências, oito igrejas e três escolas e causaram também a morte de dez cabeças de gado bovino, deixando muitas famílias sem tecto e haveres, bem como muitos alunos sem aulas.
Os municípios mais afectados, de acordo com a fonte, foram a Caála, Bailundo, Mungo,Longondjo, Londuimbali, Tchicala Tchlohanga e Catchiungo.
Francisco Muhepa aconselha a população para pautar pela aplicação de medidas preventivas e a escolher lugares certos para a construção de residências, evitando zonas de riscos, para se evitar mais mortes.
“As pessoas, antes de construírem, devem ouvir a orientação dos técnicos da administração municipal e acatar os conselhos dos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros, para se evitar outras consequências no futuro”, aconselhou.
O especialista em questões sociais, Aguinaldo Jonas, defendeu o reforço das campanhas de sensibilização nas comunidades, enquanto se espera pela colocação de pára-raios em todos os pontos da província.
Aguinaldo Jonas é de opinião que se deve colocar pára-raios nas instituições de maior concentração de pessoas, como é o caso de escolas, hospitais e mercados, para se evitar este tipo de situações.

Tempo

Multimédia