Províncias

Cidade completa aniversário com energias renovadas

António Canepa| Huambo

A capital do Huambo comemora hoje 101 anos desde que ascendeu à categoria de cidade com energias renovadas, devido às grandes mudanças que está a viver nos últimos tempos.

A antiga cidade de Nova Lisboa hoje Huambo beneficia de um vasto programa de recuperação e ampliação de infra-estruturas sociais
Fotografia: Francisco Lopes| Huambo

A urbe, que até à Independência se chamou Nova Lisboa, foi fundada pelo antigo governador-geral de Angola, o português Norton de Matos, em 1912, o mesmo ano em que foi inaugurada a linha férrea que liga o portuário Lobito ao leste do país.
Para comemorar o aniversário, estão a ser realizadas, desde o início de Setembro, numerosas actividades culturais, desportivas, sociais, debates radiofónicos e palestras sobre a sua fundação, história, cultura e costumes do povo do Huambo e desenvolvimento da cidade.
A realização da grande prova de automobilismo e motociclismo, torneio de xadrez, prova de atletismo, exposições e a grande feira montada no Largo Albano Machado, são os principais atractivos da efeméride que, como sempre, junta também filhos da terra vindos de outros pontos do país, que por razões várias foram obrigados a abandonar a terra que os viu nascer. Um vasto programa de recuperação e ampliação de infra-estruturas sociais, melhoria do saneamento básico, requalificação e ordenamento territorial da cidade está em curso há já algum tempo.
Novos espaços verdes foram criados, passeios e lancis estão em recuperação, com vista a proporcionar alegria, maior conforto, tranquilidade e segurança aos munícipes e visitantes. A cidade tem novas rotundas nos principais pontos críticos da circulação rodoviária e novas avenidas foram abertas para facilitar o trânsito, que já se faz sentir apertado nestes últimos tempos, com o aumento do parque automóvel. 
Estão também em curso obras de prolongamento de estradas, asfaltagem das vias secundárias e terciárias, que apesar de terem começado recentemente estão a recompor, aos poucos, a beleza natural da cidade e a apagar o passado de tristeza.
 
       Parques de estacionamento

 
O director provincial do Planeamento e Estatística, Victor Tchissingui, disse que o projecto de requalificação da cidade do Huambo inclui a recuperação de alguns cemitérios, com a criação de parques de estacionamento, capelas, áreas administrativas e um velório, o primeiro a ser erguido na cidade.
 Ainda no âmbito do programa integrado de desenvolvimento rural e combate à pobreza, o governo pretende minimizar, em breve, os problemas que mais afligem a população, como a  água e energia.
Na localidade do Cambiote, nos arredores, está em construção o sistema de abastecimento de água que vai beneficiar mais de mil famílias, a ser concluído nos próximos meses. No mesmo quadro, o Governo Provincial do Huambo prevê a colocação de 55 pequenos sistemas de água, equipados com painéis solares, pára-raios e chafarizes nos bairros novos. 
Nesta primeira fase do arranque das obras de recuperação da cidade estão, entre as prioridades do Governo Provincial, a conclusão da colocação de asfalto e reciclagem das ruas degradadas pela instalação de redes de energia, água e fibra óptica, sinalização horizontal, assim como a colocação de iluminação pública nas artérias, além de trabalhos de terraplanagem nos bairros periféricos. Os trabalhos de requalificação que decorrem nas principais linhas de transmissão de energia e em alguns centros de captação, tratamento e distribuição de água vão permitir levar energia eléctrica e água aos domicilios.
Das várias tarefas em desenvolvimento, destacam-se, também, a reabilitação das principais vias rodoviárias, as ruas e ruelas dos bairros periféricos, para facilitar o trânsito e, consequentemente, reduzir a sinistralidade. As principais vias que ligam os bairros ao centro da cidade foram quase todas reabilitadas, facilitando a ligação e o movimento diário das populações.
O administrador do município do Huambo, José Marcelino, destacou que a cidade está a melhorar a sua imagem e chamou a atenção aos munícipes no sentido de colaborarem com as autoridades locais, para que a capital do Huambo continue a desenvolver-se e a crescer em termos de infra-estruturas sociais, lazer e culturalmente. “O desafio da administração municipal é de todos e, cada um dos munícipes é chamado a fazer crescer esta cidade, com ideias, ou com o que for, para que ela esteja sempre limpa e organizada”, disse.
José Marcelino garantiu que apesar da exiguidade das verbas, a administração tem estado atenta a qualquer ocorrência e tem gizado muitos projectos relacionados com a construção de um Huambo melhor, organizado, limpo, bonito e ecologicamente habitável.

Turismo e rede hoteleira


 A cidade também oferece ao visitante outros atractivos, como jardins, espaços verdes e lugares de interesse económico e social.
A rede hoteleira na cidade está em franco crescimento, e é a pensar neste sector que o Governo Provincial traçou a política de fomento do turismo, para atender a procura, que cresce dia após dia.
A actual rede hoteleira ainda está muito aquém de corresponder à procura, já que nos últimos anos a cidade tem sido paragem de muitos turistas e de pessoas que procuram passar momentos diferentes, sobretudo aos fins-de-semana.
 Semanalmente, chegam centenas de visitantes dos vários pontos do país, incluindo pessoas que vêm em negócios ou trabalho.
Tendo em conta a importância da cidade do Huambo no contexto geográfico, político económico e social, as autoridades locais estão interessadas em que o empresariado e pessoas singulares invistam mais no sector do turismo e hotelaria.
Constitui grande desafio para o Governo Provincial do Huambo a ampliação da rede e melhoria do saneamento básico e a afirmação da localidade como capital ecológica de Angola.

Tempo

Multimédia